Lua Nova

FaceBook  Twitter  

luanova 

Autor: Stephenie Meyer
Trilogia: Twilight (Vol. 2)
Edição: 2007
Páginas: 528
ISBN: 9789895574469
Editora: 1001 Mundos

 


Para Bella Swan, existe algo mais importante do que a própria vida: Edward Cullen. Porém, estar apaixonada por um vampiro é ainda mais perigoso do que alguma vez poderia ter imaginado. Edward já salvou Bella das garras de um vampiro maléfico, mas agora, à medida que a sua destemida relação ameaça tudo o que se encontra por perto e todos os que lhes são queridos, eles apercebem-se de que os seus problemas podem estar apenas a começar...

Legiões de leitores, arrebatados por Crepúsculo, best-seller de New York Times, estão ansiosos pela continuação da história dos amantes perseguidos pela má sorte, Bella e Edward. Em Lua Nova, Stephenie Meyer assina outra irresistível combinação de romance e suspense com um toque sobrenatural. Apaixonante, fascinante e cheia de surpreendentes reviravoltas, esta saga amorosa de vampiros caminha a passos largos para a imortalidade literária.

Leia aqui o 1º capítulo

COMENTÁRIO:
Na continuação do "Crepúsculo", continuamos a ler a história da Bella. O Edward vai estar mais ausente neste 2º volume, uma vez que a relação de ambos passará por uma fase menos positiva, em função das dificuldades que teimam em se instalar.
Mas o amor vence todos os obstáculos.
Neste livro surge a amizade com Jacob, que já surgia no 1º volume, como se desenvolve e as surpresas que esta personagem nos reserva.
Claro que a Bella está sempre metida em apuros!
Novamente um bom livro que nos trasnporta para a acção de uma forma impressionante e viciante!

Autora:

Stephenie Meyer nasceu na véspera de Natal, em Hartford, Connecticut, mas vive em Phoenix, no estado do Arizona desde os quatro anos de idade. É lá que vive com o seu marido e os seus três filhos. Licenciou-se em Literatura Inglesa, pela Brigham Young University. Após a publicação do seu primeiro romance, Twilight (entre nós publicado com o titulo Crepúsculo), Stephenie Meyer foi considerada "como uma das mais promissoras novas escritoras de 2005" (Publishers Weekly). O seu romance de estreia foi bem recebido pela critica tendo conseguido várias distinções entre as quais se destacam: A New York Times Editor's Choice; A Publishers Weekly Best Book of the Year, Amazon "Best Book of the Decade...So Far". Sem dúvida um romance de qualidade, já traduzido, até agora, em 20 línguas.

Comentários  

 
#5 catia 2018-03-08 11:27
Adorooooooooooo ooooooooooooooo ooooooooooooooo muitooooooooooo ooooooooo, o melhor do mundooooooooooo ooooo!
 
 
#4 Isabel 2010-02-17 23:08
Adorei o livro! Acho que não fica atrás do Crepúsculo, embora a parte de o Edwad estar ausente e a proximidade que ela ganha de Jacob me deixar um pouco desconfortável.

Mas acho que tem todos os componentes para continuar a ser um sucesso.
 
 
#3 Júlia 2009-07-21 16:35
Não consegue ser tão bom como o Crepusculo mas mesmo assim deixa-nos pregados ao livro.
 
 
#2 Maria João 2009-02-25 14:25
Apesar de não ter a qualidade do primeiro, ainda nos consegue prender. Como ponto negativo temos a tradução do texto. Espero pelo terceiro.
 
 
#1 Fátima Rodrigues 2008-12-10 22:04
Acabeiii!!! Gostei muito, mas não tanto como o "Crepúsculo", por causa do Edward estar muito ausente no enredo deste livro e porque, ao caminharmos para o final, se acentuarem os erros na tradução e na revisão do texto.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A Morte do Papa
    Depois de ter lido todos os livros anteriores de Nuno Nepomuceno, este foi o primeiro em que tive ...
  • 24.02.2020 00:22
  • Pão de Açúcar
    Faz agora em fevereiro catorze anos que se deu um acontecimento que apaixonou o País e deixou os ...
  • 02.02.2020 22:44
  • Budapeste
    Este livro fala de uma profissão que muitos podem considerar ficção, mas é muito real e mais vulgar do ...
  • 18.01.2020 23:22

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Não ler, pensei, era como fechar os olhos, fechar os ouvidos, perder sentidos. As pessoas que não liam não tinham sentidos. Andavam como sem ver, sem ouvir, sem falar."
Valter Hugo Mãe in Desumanização