Mães e Filhas com História

FaceBook  Twitter  

 

 

 

Autora: Fátima Lopes
Edição: Set/2013
Páginas: 260 + 16 Extratextos
ISBN: 9789896264994
Editora: Esfera dos Livros

 

 


O amor entre uma mãe e uma filha pode ser vivido e sentido de diferentes formas. Pode ser um amor incondicional. Um amor abnegado. Um amor cúmplice, baseado na mais profunda amizade. Um amor temeroso ou respeitador. Castrador ou potenciador. Foi na procura destas diferentes formas de amor que Fátima Lopes enveredou pela História, para descobrir estas Mães e Filhas.

Beatriz será um peão nas mãos da sua mãe Leonor Teles cuja principal lição que deixou à filha foi que se deve conquistar o poder, sem olhar a meios. Filipa de Lencastre, mãe da Ínclita Geração, fez questão de educar os filhos na fé e em valores fortes. Isabel sua filha irá honrar a sua memória ao se tornar na distinta Duquesa de Borgonha. Catarina de Áustria é Rainha de Portugal, mulher de poder, austera, que nunca esqueceu os terríveis anos de cativeiro vividos ao lado da sua mãe, Joana a Louca, no Mosteiro de Tordesilhas.
Para Catarina de Médicis, a sua filha Margarida era o seu maior flagelo, não hesitando em mandar prendê-la. Catarina de Bragança foi Rainha de Inglaterra, mas sempre viveu na sombra da sua poderosa e exigente mãe, Luísa de Gusmão. D. Mariana Raimunda e a Marquesa de Távora partilhavam uma fé profunda, mas nem esta as livrou, a elas e aos seus, do terrível destino que tiveram. Já Maria Antonieta confessava em surdina o medo que sentia da sua mãe, a imperatriz Maria Teresa. D. Maria II assistiu ao sofrimento da sua adorada mãe, maltratada pelo marido e jurou a si própria não seguir o seu exemplo. Seria uma mulher independente e teria um casamento feliz, baseado no respeito. Sissi, Imperatriz da Áustria e da Hungria, viu os seus filhos serem afastados de si por uma sogra controladora. Apenas a última filha, Maria Valéria, viveu a seu lado e tornou-se na sua verdadeira obsessão. A história da czarina Alexandra e da sua filha Anastasia é marcada pela tragédia.
Depois dos seus anteriores bestsellers, a autora e apresentadora de televisão Fátima Lopes regressa à escrita de forma surpreendente. Uma visita à História para ficarmos a conhecer cada uma destas mulheres, no seu papel menos conhecido e explorado, o de mães e filhas. Um relato emotivo e intimista de uma autora que reconhece, sem dúvidas, que o seu maior papel nesta vida é ser mãe.

Desta autora no Segredo dos Livros:
Amigas para Sempre

Autora:

Fátima Lopes, licenciada em Comunicação Social pela Universidade Nova de Lisboa, é um dos rostos mais conhecidos dos portugueses. O seu trabalho de vários anos tem sido reconhecido regularmente através de prémios como «Prémio Profissional do Ano» atribuído pelo Rotary Club de Setúbal-Sado, em 2007, o «Troféu da Verdade», atribuído pela revista Eles & Elas, em 2007, ou o prémio «Melhor Apresentadora de Entretenimento», atribuído pela Casa da Imprensa, em 2004.
Em 2006, Fátima Lopes publicou o seu primeiro romance Amar Depois de Amar-te que vendeu cerca de 100 mil exemplares em Portugal, tornando-se num dos bestsellers do ano. Em 2007, foi também editado em Espanha com grande sucesso. Seguiram-se Um pequeno Grande Amor, com dezoito edições, A Viagem de Luz e Quim, três edições, e Amigas Para Sempre, quatro edições.
A sua estreia em televisão aconteceu em 1994, na SIC, com o programa Perdoa-me. Depois de ter apresentado diversos outros programas, podemos vê-la, atualmente, de segunda a sexta, no programa A Tarde é Sua, na TVI.

Comentários  

 
#1 Liliana Patrícia Pereira Pinto 2013-10-31 20:42
Este é o primeiro livro que leio da apresentadora e escritora Fátima Lopes. E gostei muito desta estreia.

O tema do livro chamou-me logo a atenção: as relações entre mãe e filha nunca são abordadas de forma aprofundada nos romances históricos. O livro aborda a história de dez mães e dez filhas ao longo dos séculos que marcaram a sua época.

A história que me marcou mais, foi a de Alexandra Romanov e Anastacia Romanov. É, na minha opinião, a história mais intensa e injusta que li. Como é possível uma família inteira ser chacinada sem um pingo de remorso? Ser chacinada por, simplesmente, serem os governantes de um país à beira da ruptura?! Depois de ler esta história passei quase duas horas à procura de mais informações sobre esta família e, no fim, parecia que a tragédia tinha acontecido comigo.

A escrita de Fátima Lopes é agradável e simples. Sem floreados nem pretensiosismos . Fiquei fã dela e, com toda a certeza, acompanharei os seus próximos livros.

Recomendo.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Não ler, pensei, era como fechar os olhos, fechar os ouvidos, perder sentidos. As pessoas que não liam não tinham sentidos. Andavam como sem ver, sem ouvir, sem falar."
Valter Hugo Mãe in Desumanização