Manual da Escuridão


Autor: Enrique De Hériz
Páginas: 440
Edição: Mar/2010
Editor: Dom Quixote

A carreira do ilusionista Víctor Losa, depois de algumas dificuldades iniciais, é fulgurante. Perto dos 40 anos recebe, em Lisboa, a homenagem dos seus colegas que o consagram como o melhor mágico do mundo. No entanto, o destino prega-lhe uma surpresa contra a qual o seu talento de nada lhe serve. O mundo desaparece subitamente do seu cenário por culpa de uma irreversível cegueira. O brilho da sua vida envolve-se em escuridão. E Víctor Losa deverá começar de novo.

Autor:
Enrique de Hériz nasceu em Barcelona, em 1964.
Licenciado em Filologia Hispânica, desenvolveu um importante percurso editorial como tradutor e editor. Em 2000 abandonou o seu trabalho de director editorial para se dedicar exclusivamente à escrita. É autor dos romances El día menos pensado (1994) e Historia del desorden (2000), e do livro de contos Sorda, pero ruidosa (2003), que ganhou o Prémio UNED.
Mentira (2004), o seu anterior romance, foi galardoado com o Prémio Libreter dos Livreiros de Barcelona e Catalunha. Aclamado pela crítica e pelos leitores portugueses, foi publicado em Portugal pela Dom Quixote, em 2005.

1 comentários
2 likes
Anterior: Vive e Deixa MorrerSeguinte: Blasfémia

Comentários

  • Paulo Alexandre Alves

    Maio 16, 2010 às 15:40
    Responder

    Novas formas de «olhar» a vidaApesar de não me atrair nada o mundo dos mágicos, as suas cartas, cartolas e truques, o que seduz aqui é mesmo a escrita.Confesso que, devido à descrição (talvez demasiado persistente) de técnicas de magia, me cansei um pouco, lá para o final da primeira parte do livro. Mas fui compensado com a segunda, onde entramos nas emoções de Victor e vivemos com ele o apuramento dos sentidos, a sua nova forma de "olhar" a vida.Sim, a Espanha tem revelado excelentes escritores, e este senhor é mais um daqueles que me fazem querer ter mais […] Ler Mais...Novas formas de «olhar» a vidaApesar de não me atrair nada o mundo dos mágicos, as suas cartas, cartolas e truques, o que seduz aqui é mesmo a escrita.Confesso que, devido à descrição (talvez demasiado persistente) de técnicas de magia, me cansei um pouco, lá para o final da primeira parte do livro. Mas fui compensado com a segunda, onde entramos nas emoções de Victor e vivemos com ele o apuramento dos sentidos, a sua nova forma de "olhar" a vida.Sim, a Espanha tem revelado excelentes escritores, e este senhor é mais um daqueles que me fazem querer ter mais cinco minutos livres para ler. Read Less

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes