Miramar

FaceBook  Twitter  

 

  

 

Autor: Naguib Mahfouz
Edição: Jul/2012
Páginas: 192
ISBN: 9789722635011
Editora: Civilização

 

 

Um romance coeso e de grande carga emocional sobre vidas que se cruzam, Miramar desenrola-se na Alexandria do início dos anos 60. Seis personagens, todas agora exiladas por força das circunstâncias, tornam-se residentes da elegante e decadente Pensão Miramar. A figura central é Zohra, a bela camponesa cuja relação com as outras cinco personagens simboliza a essência da realidade política e social da época.

Deste autor no Segredo dos Livros:
O Beco dos Milagres

Autor:

Naguib Mahfouz nasceu no Cairo em 1911. Modernizou a literatura árabe, sendo considerado um dos seus maiores vultos. Foi o único escritor de língua árabe a ser galardoado com o Prémio Nobel da Literatura. Publicou 34 romances, mais de 350 contos, dezenas de argumentos cinematográficos e cinco peças ao longo de uma carreira de mais de 70 anos. Viveu com a mulher e as duas filhas na sua cidade natal até falecer, em 2006.

Comentários  

 
#2 Sebastião Barata 2012-09-11 23:28
Uma pensão degradada em Alexandria, a dona da pensão, uma jovem empregada e cinco hóspedes. Dois dos hóspedes são idosos e os outros jovens. Todos têm o seu passado. Os idosos já não esperam muito do futuro, mas os jovens têm diferentes opções políticas e todos tentam esconder os motivos que os levaram a hospedar-se na velha pensão. A certa altura, um deles aparece morto. Teria sido suicídio? Ou alguém o matou? Razões para o fazer não faltavam e suspeitos também não.
Estes são os ingredientes desta estranha história, que nos é narrada aos poucos pelos diversos intervenientes. Cada um apresenta a sua versão dos acontecimentos e revela novos pormenores que vão alterar a perceção do leitor. Onde está a verdade, afinal?
Naguib Mahfouz narra-nos de uma maneira suave e lírica, mas também irónica e quase hilariante, a história do Egipto na época conturbada após a independência, com os europeus a abandonarem o país, vendendo os seus negócios ao desbarato.
Todo o livro está pontilhado de passagens em itálico, que presumo serem citações. Algumas pertencem ao Alcorão, de acordo com as notas de rodapé, mas muitas não têm indicação de origem. Penso que as notas de rodapé (estas e as restantes) sejam da iniciativa do tradutor, com o objetivo de ajudar o leitor português a interpretar melhor o texto.
Estas citações prejudicaram a minha leitura, porque não me dizem nada e cortam o ritmo. Calculo que sejam citações que um leitor egípcio identifica imediatamente, pois o autor não se deu ao trabalho de as rotular. É o inconveniente de ler autores de outras culturas.
 
 
#1 Sónia 2012-08-07 17:12
Naguib Mahfouz conta-nos a história de seis personagens que habitavam a pensão Miramar em Alexandria nos anos 60. É um livro relativamente pequeno. Cada capítulo tem por título o nome de uma personagem e é narrado na primeira pessoa. Desta forma, vamos tendo a percepção de como uma mesma ocorrência pode ser vista à luz de diferentes olhares.

Todas essas ocorrências têm como elemento comum Zohra - uma camponesa. É através das relações estabelecidas entre ela e as restantes personagens que vamos ficando a conhecer a realidade social e política da época. E é aqui que entra o complicado do livro. Apesar de ter bastante discurso directo, o nome das várias personagens é difícil de memorizar. Talvez seja por não estar habituada a ler livros em contexto árabe. Depois, toda a narrativa é bastante rica em notas de rodapé, para nos situarmos na acção, nas quais figuram nomes igualmente estranhos. Possui também várias notas históricas que, infelizmente, nos vão fazendo perder o fio à meada.

Foi um livro que não me cativou. Não pelo tema em si, mas pelo contexto espacial.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A Recriação do Mundo
    Não é segredo que a Alemanha e a URSS correram contra o tempo e contra os Estados Unidos da América para ...
  • 22.09.2019 13:21
  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Não ler, pensei, era como fechar os olhos, fechar os ouvidos, perder sentidos. As pessoas que não liam não tinham sentidos. Andavam como sem ver, sem ouvir, sem falar."
Valter Hugo Mãe in Desumanização