Monstro

Autor: Agostinho Santos
Género: Artes
Edição: Jul/2020
Páginas: 864
ISBN: 9789895473687
Editora: Novembro

 

 

«(…) Os bichos, um a um, foram tombando. Tão acossados e tão necessitados de sobreviver, tombavam afinal ao fogo dos caçadores, que coleccionavam as pérolas como dinheiro caro, punham-nas em guarda-joias, vendiam ou trocavam por casas melhores. Lentamente, os bichos rareavam mais e mais e os caçadores buscavam-nos nas miudezas da lonjura, nas miudezas da paisagem, caçando-os avidamente, alarves sempre de mais pérolas. Alarves e tornando-se mais impacientes, confusos. Era uma avidez aflita. (…)»
Valter Hugo Mãe, In Monstro

«(…) Muito longe, no séc.V, Santo Agostinho organizou em 22 volumes a Cidade de Deus. Roma tinha sido invadida pelos Visigodos; os impérios e os deuses tremiam; a cidade terrena, violenta, desfazia-se na violência e no caos. Para sair desse pesadelo, haveria então outro povo, outros humanos que pela fé cristã e pela busca da paz, se reuniriam na Cidade de Deus, a cidade mística que perduraria eternamente depois do fim dos tempos. Agostinho Santos não é Santo Agostinho.
A arte é um modo de dar a ver; não a representação do mundo mas, antes, a interrogação, um exercício de criação nunca consumado, mobilizando tudo o que é do ofício habitual do artista e, sobretudo, absolutamente tudo que possa ser relido, metamorfoseado, transformado para entrar no grande mundo das artes e das suas expressões, modos de fazer e distribuir para que outros vejam, sintam. (…)»
Álvaro Domingues, In Monstro

Widget not in any sidebars

0 comentários
0 likes
Anterior: Histórias para os Avós Lerem aos NetosSeguinte: A Terceira Índia

Comentar