Não Brinque Senhor Tanner

FaceBook  Twitter  

Autor: Jean-Paul Dubois
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892300696
Ano de Edição/ Reimpressão: 2008
N.º de Páginas: 160

Está a pensar fazer obras em casa? Então é melhor ler este livro…

É através de uma carta registada que Paul Tanner recebe a notícia que vai transformar a sua vida: o seu tio fora encontrado “enrolado em látex e irremediavelmente morto na cama de um jovem com quem partilhava a existência há alguns anos”. Paul é realizador de séries sobre pesca fluvial para canais de televisão “incaracterísticos e pouco interessantes”, e levava até então uma vida tranquila na sua agradável casa com jardim.

Mas tudo isso muda quando herda do tio a casa de família. Decidido a restaurá-la totalmente, inicia as obras sem fazer ideia de que vai começar uma longa e dolorosa descida ao Inferno.

Farsa trágico-cómica, Não Brinque, Senhor Tanner é um relato assustadoramente real do pesadelo em que se pode transformar a recuperação de uma casa, mas é também uma hilariante e comovente galeria de retratos humanos.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Era uma vez uma mulher cujo ofício era contar histórias. Andava por todo o lado oferecendo a sua mercadoria, relatos de aventuras, de suspense, de horror ou de luxúria, tudo a um preço justo. Num meio dia de agosto encontrava-se no centro de uma praça quando viu avançar na sua direção um homem (...) És tu a que conta histórias?, perguntou o estrangeiro. (...) Então vende-me um passado, porque o meu está cheio de sangue e de lamentos e não me serve para percorrer a vida."
Isabel Allende
in Eva Luna