Next Level - 44 curvas até ao MotoGP

FaceBook  Twitter  

 

 

Autores: Miguel Oliveira e Edite Dias
Género: Memórias
Edição: Mar/2019
Páginas: 280
ISBN: 9789897801037
Editora: Casa das Letras

 

 


O primeiro português a chegar à elite do motociclismo escreveu a sua história pelo próprio punho, um percurso de determinação e persistência. O caminho que o levou até ao MotoGP foi longo e cheio de curvas, de avanços e recuos, com muito menos glamour e muito mais sofrimento do que muitos imaginam.
Este livro reúne histórias de amor, desilusão, persistência, mas não contabiliza as noites mal dormidas, as contas feitas e refeitas, os milhares de quilómetros em carrinhas novas, e velhas, e emprestadas que levaram Miguel Oliveira até ao seu sonho.

Mas teve também momentos de alegria, profunda emoção e gargalhadas honestas contadas em 44 capítulos, o número que desenhou na sua moto e que os portugueses se habituaram a procurar nas pistas do Mundo inteiro. Miguel Oliveira demorou 15 anos a chegar ao MotoGP, o palco de sonho de qualquer piloto, dos mais afortunados aos mais talentosos. Agora, é uma nova luta, um Next Level onde todos querem estar.

Autor:

Miguel Oliveira (Almada, 4 de janeiro de 1995) é um piloto de motociclismo português que, a partir da temporada 2019, está a competir em Moto GP, a categoria rainha do motociclismo. Ganhou experiência em Moto3, onde correu desde 2013. Em setembro de 2014 assinou com a Red Bull KTM Ajo chegando ao título de vice-campeão em 2015. Depois da passagem pela Leopard no ano de estreia em Moto2 (2016), reingressou na equipa da Red Bull KTM Ajo, a qual teve em 2017 a sua temporada de estreia na categoria intermédia, terminando a época em 3º lugar, a apenas 2 pontos do 2º classificado.
Ainda em 2017, Miguel Oliveira iniciou um projeto pedagógico pioneiro em Portugal – o Oliveira Cup. Este Troféu Escola de Motociclismo, com o seu mentoring, é dirigido a jovens dos 10 aos 14 anos de idade. Paralelamente, e com o mesmo intuito, tem ainda um papel preponderante na preparação de jovens talentos provenientes do Oliveira Cup que se iniciam no Campeonato Nacional de Velocidade, sob a chancela da Miguel Oliveira Fan Club Racing Team. 
No início de 2018, foi eleito Desportista do Ano, na categoria de Atleta Masculino, pela Confederação do Desporto de Portugal, assim como nomeado Embaixador Global da Integridade e Transparência no Desporto pela Sport Integrity Global Alliance (SIGA).

Autora:

Edite Dias nasceu em Lisboa em 1972. Frequentou o curso de Direito mas licenciou-se em Ciências da Comunicação. Trabalha no jornal A BOLA desde 1996, tendo realizado a cobertura jornalística de vários eventos nacionais e internacionais, como Jogos Paralímpicos Atenas-2004, Mundial de Ralis, Torneio de ténis de Wimbledon, Laureus, Mundial de Andebol, entre outros. Atualmente, é responsável pela programação do canal de televisão do jornal, A BOLA TV.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • 25 de Abril, Corte e Costura
    Este livro é exatamente o que eu esperava dele: uma sucessão de quadros em que se ridiculariza a ...
  • 28.04.2019 21:03
  • A Aluna Americana
    Este é o mais recente romance de João Pedro Marques, autor de, entre outros, "Uma Fazenda em África" ...
  • 25.04.2019 20:42
  • O Último Cabalista de Lisboa
    Consegui, finalmente, ler este livro que foi o primeiro romance de Richard Zimler. Publicado em 1996 ...
  • 07.04.2019 23:56

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"Algumas obras morrem porque nada valem; estas, por morrerem logo, são natimortas. Outras têm o dia breve que lhes confere a sua expressão de um estado de espírito passageiro ou de uma moda da sociedade; morrem na infância. Outras, de maior escopo, coexistem com uma época inteira do país, em cuja língua foram escritas, e, passada essa época, elas também passam; morrem na puberdade da fama e não alcançam mais do que a adolescência na vida perene da glória. Outras ainda, como exprimem coisas fundamentais da mentalidade do seu país, ou da civilização, a que ele pertence, duram tanto quanto dura aquela civilização; essas alcançam a idade adulta da glória universal. Mas outras duram além da civilização, cujos sentimentos expressam. Essas atingem aquela maturidade de vida que é tão mortal como os Deuses, que começam mas não acabam, como acontece com o Tempo."
Fernando Pessoa, in Heróstrato