O Circo dos Sonhos

 

 

  

 

 

Autora: Erin Morgenstern
Edição: Abr/2012
Páginas: 464
ISBN: 9789722634267
Editora: Civilização

Um misterioso circo itinerante chega sem aviso e sem ser precedido por anúncios ou publicidade. Um dia, simplesmente aparece. No interior das tendas de lona às listas pretas e brancas vive-se uma experiência absolutamente única e avassaladora. Chama-se Le Cirque des Rêves (O Circo dos Sonhos) e só está aberto à noite.
Mas nos bastidores vive-se uma competição feroz – um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, que foram treinados desde crianças exclusivamente para este fim pelos seus caprichosos mestres.

Sem o saberem, este é um jogo onde apenas um pode sobreviver, e o circo não é mais do que o palco de uma incrível batalha de imaginação e determinação. Apesar de tudo, e sem o conseguirem evitar, Celia e Marco mergulham de cabeça no amor – um amor profundo e mágico que faz as luzes tremerem e a divisão aquecer sempre que se aproximam um do outro.
Amor verdadeiro ou não, o jogo tem de continuar e o destino de todos os envolvidos, desde os extraordinários artistas do circo até aos seus mentores, está em causa, assente num equilíbrio tão instável quanto o dos corajosos acrobatas lá no alto.
Escrito numa prosa rica e sedutora, este romance arrebatador é uma dádiva para os sentidos e para o coração.

 

Autora:
Erin Morgenstern descreve todo o seu trabalho como sendo “contos de fadas, de uma forma ou de outra”. Estudou teatro e arte no Smith College. Além de escrever, também pinta e coleciona joias feitas com chaves antigas. Cresceu no Massachusetts e é lá que vive atualmente. O Circo dos Sonhos é o seu primeiro romance.

 

Veja aqui o trailer desta obra:

5 comentários
0 likes
Anterior: IncarceronSeguinte: O Anel Mágico

Comentários

  • Vanessa Montês

    Dezembro 25, 2012 às 16:09
    Responder

    Um livro estranho, foi o que pensei quando vi a capa. E, quando li a sinopse, posso afirmar que fiquei ainda com mais certezas sobre tal desconfiança.Dois grandes mágicos, no real sentido da palavra, levam uma vida centenária. O grande problema destas vidas prolongadas é que o divertimento acaba por ser escasso e tudo farta. Mas quando estes dois grandes magos ficam demasiado fartos, eles iniciam um dos seus jogos favoritos, um jogo que inclui duas crianças, uma para cada mago. Estas crianças iriam ser criadas por eles, ensinadas nas artes da magia e acabariam por ter que se defrontar […] Ler Mais...Um livro estranho, foi o que pensei quando vi a capa. E, quando li a sinopse, posso afirmar que fiquei ainda com mais certezas sobre tal desconfiança.Dois grandes mágicos, no real sentido da palavra, levam uma vida centenária. O grande problema destas vidas prolongadas é que o divertimento acaba por ser escasso e tudo farta. Mas quando estes dois grandes magos ficam demasiado fartos, eles iniciam um dos seus jogos favoritos, um jogo que inclui duas crianças, uma para cada mago. Estas crianças iriam ser criadas por eles, ensinadas nas artes da magia e acabariam por ter que se defrontar num jogo, onde apenas uma ganharia. Agora, quais as regras do jogo? Quando ocorreria o confronto? Como saberiam quem ganharia?Estas são as perguntas que crescem com Celia e Marco. Celia cresceu com um dos magos. Sendo filha deste, seria de esperar uma infância de amor, carinho e devoção. Mas não. Celia cresceu praticamente sozinha, sem amigos e num ambiente oprimente. O seu pai queria que ela fosse a melhor e para isso não se deu ao trabalho de pensar na sua idade, tratando-a como se de uma adulta fosse, fazendo-a sofrer para ser a melhor. Apesar de tudo, Celia acabou por se tornar uma pessoa querida pelos outros, simpática, sonhadora e muito determinada. Os maus tratos que eram sequelas da decisão do pai de lhe ensinar tudo e mais do que aquilo que sabia, acabaram por a tornar ainda melhor do que ele, sendo uma grande mágica e a primeira a entrar no fantástico circo dos sonhos, um circo cuja magia era superior a qualquer outro, onde apenas os melhores actuavam e apenas durante a noite.Também conhecemos Marco. Este é o aprendiz do outro feiticeiro. Tendo sido órfão, tivera a sorte de ser adoptado pelo peculiar homem que, apesar de se encontrar diversas vezes fora, acabou por o encher de amor e carinho, de uma forma muito diferente. Marco não tinha um talento tão grande como Celia para a magia, mas esforçava-se e acabava por alcançar o objectivo do seu tutor. Sendo uma pessoa forte de mente e destemida, Marco acaba por ajudar nas diversas operações do circo dos sonhos, mas sempre nos bastidores, nunca se mostrando demasiado, pois, como dizia o seu pai adoptivo e tutor, a surpresa era a sua melhor arma.Mas estas duas personagens acabam por se tocar profundamente uma à outra, acabando por descobrir que, apesar de serem inimigos destinados desde a infância, se amam como nunca pensaram amar alguém. Embora o tutor de Marco acabe por compreender estes sentimentos, pois este é um homem mais simpático e que acaba por criar grandes laços com os seus pupilos, o pai de Celia, um homem cruel que nem depois de morto a larga, não vê com bons olhos esta relação, envenenando todos os pensamentos que Celia tem de viver uma vida feliz.Foi um livro diferente do que estava à espera. É verdade, estava à espera de algo diferente, pois a capa e a sinopse do livro assim prometiam, mas acabou por ser um "diferente" ainda melhor do que o que estava nas minhas expectativas. Personagens muitíssimo bem criadas, onde temos um jovem órfão, que vivera uma infância difícil, mas que fora adoptado por alguém que tinha planos para ele, mas que acabava por se preocupar minimamente com o seu bem estar, e uma jovem que vive com o verdadeiro pai, mas que este trata mal, como se não passasse de um animal que tinha que ser domesticado, acabando por levar as suas lições por vezes (e na minha opinião) longe de mais. Uma das cenas que mais me tocou e que demonstrou a vida difícil que Celia teve com o seu pai, foi a de, ao ensinar-lhe a magia regenerativa, lhe cortar as pontas dos dedos para ela se regenerar a si mesma. Foi uma passagem do livro que me custou a ler, ainda por cima por tal ter ocorrido na infância de Celia, o que demonstra muito sobre a maneira de ser e viver de Celia e de seu pai.Toda a história é escrita como se de uma pintura se tratasse. A descrição dos cenários leva-nos até eles e faz-nos sonhar, faz-nos imaginar que estamos naquele mundo tão diferente do normal e tão mágico. A escrita da autora é mesmo belíssima, fluída e torna toda esta história em algo muito diferente. As personagens são bem exploradas e temos como que ying e yang, na forma como estas duas crianças crescem e são preparadas para o mesmo objectivo, sendo a conclusão uma grande lição.Gostei e recomendo. Um livro para ler calmamente e saborear, pois, com a beleza da escrita... ele merece! Read Less

  • Raquel

    Novembro 11, 2012 às 23:15
    Responder

    Li este livro por toda a gente falar dele e achar que tinha de experimentar. O Circo dos Sonhos é realmente mágico e conta-nos a história de Célia e Marco, cujos mestres os treinaram desde pequenos para satisfazer os seus caprichos.Este circo é completamente diferente do que estamos acostumados a conhecer, pois chega sem pré-aviso e quando bem lhe apetece. No seu interior, há a mais agressiva das competições, um duelo entre os que foram treinados pelos mestres e só um poderá sobreviver.Tratando-se apenas de um jogo, ninguém espera que Célia e Marco se apaixonem, mas isso não interessa, obviamente, […] Ler Mais...Li este livro por toda a gente falar dele e achar que tinha de experimentar. O Circo dos Sonhos é realmente mágico e conta-nos a história de Célia e Marco, cujos mestres os treinaram desde pequenos para satisfazer os seus caprichos.Este circo é completamente diferente do que estamos acostumados a conhecer, pois chega sem pré-aviso e quando bem lhe apetece. No seu interior, há a mais agressiva das competições, um duelo entre os que foram treinados pelos mestres e só um poderá sobreviver.Tratando-se apenas de um jogo, ninguém espera que Célia e Marco se apaixonem, mas isso não interessa, obviamente, porque o jogo tem de continuar.Adorei o circo, apesar de tudo, e tudo o que há dentro daquela tendinha preta de riscas brancas, e todas as tendas dentro dela, todas as salas. A maneira como somos transportados para lá é incrível, bem como todos aqueles cenários fantásticos que conhecemos e que não são reais. Tudo tão bem descrito e feito ao mais ínfimo pormenor é excelente.Um livro divinal que vale, sem margem de dúvida, 5 estrelas. É completamente impossível não nos sentirmos seduzidos pelas escrita da autora que, por vezes, é muito descritiva, mas importante. Mexe como romance e a fantasia tem uma beleza incrível. Read Less

  • Sandra Nunes

    Outubro 26, 2012 às 14:36
    Responder

    Mágico é a palavra ideal para descrever este livro. Não apenas porque efetivamente fala sobre magia, mas principalmente pela forma como está escrito.Morgenstern foi verdadeiramente exímia com as palavras. Acho impressionante como, com palavras simples, conseguiu conferir vida às suas personagens e ao próprio circo. Tudo neste livro exulta magia. A narração, os cenários, as personagens… Sem cair em exageros, este foi um dos melhores livros que li este ano. Ficará certamente no top 5.

  • Helena

    Agosto 1, 2012 às 21:17
    Responder

    Este romance parece-me uma obra de arte, cheia de estilo e classe. Uma obra para se apreciar gradualmente e absorver calmamente. Uma narrativa marcada por muitas descrições que formam um quadro completo que o leitor visualiza através da escrita. Rendi-me rapidamente ao talento da autora, ao conceber e concretizar esta história.Um romance mágico a não perder. Maravilhoso e insólito.

  • Vera Neves

    Junho 29, 2012 às 10:37
    Responder

    Foi com grande expectativa que iniciei esta leitura. O cenário era improvável e a sinopse deixou-me bastante curiosa: um mundo de magia e ilusão, onde acompanhamos uma competição entre dois mágicos que se apaixonam, mas, tal como a vida, "the show must go on".Este é o primeiro livro de Erin Morgenstern e foi uma estreia absolutamente mágica. A autora envolve-nos em tendas deslumbrantes e espevita-nos a curiosidade com truques e situações improváveis e originais que nos fazem quase viver a experiência como sendo real. A capa do livro está belíssima e o interior do livro envolve-nos na magia dos cenários, […] Ler Mais...Foi com grande expectativa que iniciei esta leitura. O cenário era improvável e a sinopse deixou-me bastante curiosa: um mundo de magia e ilusão, onde acompanhamos uma competição entre dois mágicos que se apaixonam, mas, tal como a vida, "the show must go on".Este é o primeiro livro de Erin Morgenstern e foi uma estreia absolutamente mágica. A autora envolve-nos em tendas deslumbrantes e espevita-nos a curiosidade com truques e situações improváveis e originais que nos fazem quase viver a experiência como sendo real. A capa do livro está belíssima e o interior do livro envolve-nos na magia dos cenários, com estrelas e pormenores que demarcam as diferentes fases da narrativa.A acção desenvolve-se ao longo de vários anos e acompanha o crescimento de Célia e Marco, duas crianças que não se conhecem, mas que estão destinadas a um desafio, em que apenas um deles vencerá. Ao longo dos anos, vamos acompanhando o circo nas suas deslocações por vários países e vamos saboreando cada momento, até Célia e Marco se conhecerem e perceberem que são adversários. No entanto, além de adversários num jogo que não pediram para jogar, eles vão ser também amantes, pois não conseguem fugir da atracção e do amor que os une, assim como do Jogo. Além dessa história que podemos considerar a principal, as restantes personagens são um deleite. A autora encontrou, em cada uma delas, particularidades que as enalteceram, quer pela sua personalidade ou habilidade, quer ainda pelo ar misterioso com quem envolvem a trama. Adorei os gémeos e o Bailey. A forma como estas três personagens crescem e se desenvolvem, é fascinante. É impossível não nos deixarmos envolver em tamanha beleza e fantasia. A autora foi mestre nas descrições e em nos transportar para o Circo dos Sonhos, para aquelas tendas dentro de tendas, os caminhos sinuosos, para as salas que mudam de lugar, para aqueles cenários que vemos, mas que não são reais, para a Árvore dos Desejos, para o Relógio, para a fogueira de todas as cores. As descrições são, sem dúvida, o ponto chave deste livro. Senti-me maravilhada com as capacidades artísticas das personagens e com a visita guiada que a autora nos vai oferecendo ao longo do livro. No entanto, nem tudo é controlável. O desafio traz consigo poderes inimagináveis e as consequências podem ser desastrosas para todos os envolvidos no circo e que não têm ideia do que está a acontecer. Apesar desse desconhecimento, o papel de cada um deles é fundamental para o circo poder continuar. Para uma estreia, Erin Morgenstern foi soberba. Não considero que o romance entre Célia e Marco foi o que mais me seduziu na leitura, mas antes todo o encantamento que a autora nos transmite, quase como se pudéssemos viver todos os sentimentos contraditórios que a magia proporciona. Confesso que gostaria de ter saboreado este livro com mais calma. Dava por mim a sentir que a história não avançava e confesso que, se não fosse a escrita descritiva maravilhosa da autora, o ponto fulcral do Desafio entre Célia e Marco não me iria satisfazer. Penso que esse ponto podia ter sido mais explorado, para que o leitor ficasse mais esclarecido. Deixem-se levar pela magia, leiam este livro. Read Less

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes