O Contador de Histórias


Autor: Rabih Alameddine
Edição: Set/2010
Páginas: 520
Editora: Contraponto

Osama al-Kharrat regressa a Beirute, depois do seu prolongado exílio voluntário na América, para estar ao lado do seu pai no leito da morte. A cidade, agora, é apenas uma sombra da Beirute de que Osama se lembra, mas a sua família e os seus amigos mantêm o espírito intacto: continuam a discutir, a rir e, sobretudo, a contar histórias.
O avô de Osama era um hakawati, ou contador de histórias, capaz de adoçar os ouvidos do emir mais céptico e de despertar a imaginação mais adormecida com contos clássicos reinventados a partir da Bíblia, do Corão ou das Metamorfoses de Ovídio.
O jovem Osama recolhe o legado do seu avô e começa a tecer a história da própria família, cheia de segredos, escândalos e frustrações. Uma história que o levará a voar num tapete mágico pelos céus do Médio Oriente, com fábulas de princesas, de génios, de sultões e vizires, por palácios e desertos. Uma preciosa peça de tapeçaria que une o clássico e o moderno, o mítico e o quotidiano, que encerra uma história dentro de outra como que por magia, hipnotizando o leitor desde as primeiras linhas: «Escutai. Deixai-me ser o vosso deus. Deixai-me levar-vos numa viagem para lá da imaginação. Deixai-me contar-vos uma história.»

Autor:

Rabih Alameddine nasceu na Jordânia. Filho de pais libaneses, viveu no Kuwait, no Líbano, em Inglaterra e nos Estados Unidos da América. Os seus artigos surgem em The Los Angeles Times, The Evening Standard, Zoetrope, Corriere Della Sera e Al-Hayat, entre outros. É autor dos romances Koolaids e I, the Divine e da colectânea de contos The Perv. Dedicou oito anos de intenso trabalho a traçar como um verdadeiro hakawati as 1001 noites deste século, O Contador de Histórias, um romance cativante e gracioso, que encanta e deslumbra e que o tem colocado nas listas de autores mais vendidos de todo o mundo, com o aplauso tanto do público como da crítica. Divide o seu tempo entre São Francisco e Beirute.

2 comentários
0 likes
Anterior: Um Amor em Segunda MãoSeguinte: Anástasis

Comments

  • Claudia Ferreira

    Março 20, 2011 at 16:39
    Reply

    Este livro revela a capacidade estrondosa deste escritor em "entrelaçar" as histórias clássicas de que já ouvimos falar, com histórias de gente do tempo actual. Fala-nos das histórias que transformaram um menino num contador de histórias e da tentativa de passar o seu legado ao neto.Este livro prende-nos e mantém-nos curiosos e ansiosos, de capítulo a capítulo.

  • Lídia Rumor

    Novembro 4, 2010 at 11:23
    Reply

    Em 'O Contador de Histórias', o narrador leva-nos ao encontro de variadas histórias, desde: a história contemporânea de Osama, um libanês há muito exilado em Los Angeles, mas agora de volta a Beirute por razões familiares e da sua família; as histórias de Fátima, a escrava amante de um demónio e mãe de seus filhos; e Baibars, o escravo que se tornou sultão do Egipto. Todas estas histórias se desenvolvem articulando-se e, até, intercepcionando-se umas com as outras, num movimento nem linear nem cronológico, deixando o leitor sempre atento e curioso, e pairando ora sobre as ruas devastadas do Líbano […] Ler Mais...Em 'O Contador de Histórias', o narrador leva-nos ao encontro de variadas histórias, desde: a história contemporânea de Osama, um libanês há muito exilado em Los Angeles, mas agora de volta a Beirute por razões familiares e da sua família; as histórias de Fátima, a escrava amante de um demónio e mãe de seus filhos; e Baibars, o escravo que se tornou sultão do Egipto. Todas estas histórias se desenvolvem articulando-se e, até, intercepcionando-se umas com as outras, num movimento nem linear nem cronológico, deixando o leitor sempre atento e curioso, e pairando ora sobre as ruas devastadas do Líbano contemporâneo, ora sobre as dunas resplandecentes do Antigo Egipto. Os leitores serão deleitados com estas histórias e sentir-se-ão como que levados por um tapete voador ao assistir ao desenrolar das mesmas. Read Less

Comentar