O Diário de um Banana (3) – A Última Gota

FaceBook  Twitter  

 

 

 

Autor: Jeff Kinney
Coleção: Os Diários de Greg
Páginas: 224
Formato: 14,5 X 22 cm
Editora: Vogais & Companhia

 


A verdade é esta: Greg Heffley nunca deixará de ser um banana. Mas alguém precisa de explicar isto ao seu pai, porque Frank Heffley acredita que conseguirá endurecer o filho e inscreve-o em desportos de equipa e noutras atividades «másculas».
Claro que Greg consegue esquivar-se facilmente aos esforços do pai para o mudar. Mas, quando o pai ameaça enviá-lo para uma escola militar, o Greg percebe que tem de se tornar duro… ou não terá salvação.

Este livro é o terceiro volume do diário de Greg, um verdadeiro banana, um romance com cartoons muito divertido, que está a ser um extraordinário sucesso entre nós, como comprova o facto de o primeiro livro, O Diário de Um Banana, já estar com seis edições, e o segundo livro, O Diário de Uma Banana 2 – Rodrick é Terrível, lançado apenas em setembro, estar já com três edições.
Como é natural, em consequência do grande sucesso de vendas da série «Diary of a Wimpy Kid», com mais de 25 milhões de exemplares vendidos nos EUA e nº 1 no top de vendas do New York Times, USA Today, Wall Street Journal e Indiebound, o livro vai virar filme já em abril deste ano.

Autor:

Jeff Kinney nasceu em 1971 em Maryland, nos EUA. Sempre sonhou ser cartoonista, e em 1998 começou a escrever algumas ideias sobre O Diário de um Banana. Mas foram precisos seis anos para conseguir terminar o primeiro livro, publicado inicialmente na internet (www.funbrain.com).
A coleção venceu o prestigiado prémio Nickelodeon Kids’ Choice Awards em 2010, 2011, e 2012. Jeff Kinney foi nomeado pela revista Time em 2009 como uma das 100 Pessoas Mais Influentes em todo o mundo e conquistou o prémio Children’s Choice Book Award em 2012 e 2013. A série O Diário de um Banana já conta com mais de 115 milhões de exemplares editados em todo o mundo e 535 mil só em Portugal, sendo presença habitual nos top's de vendas.
Produzidos pela Twentieth Century Fox, os diários de Greg chegaram ao grande ecrã, com três filmes realizados que renderam 250 milhões de dólares.

Siga a página portuguesa do Banana no Facebook.

Comentários  

 
+8 #2 Fátima Rodrigues 2010-03-21 18:15
Este livro é um sucesso nos meus alunos e agora já entendo porquê. O livro alia a escrita à banda desenhada, relatando as hilariantes aventuras do Greg que levam qualquer um ao riso!
O livro cativa quem gosta de ler e quem prefere a BD, fazendo uma excelente ponte entre as duas. Gostei imenso!
 
 
+6 #1 Helena 2010-03-11 13:40
Eu não li muito sobre este livrinho, mas já comprei três. Na verdade, a minha filha de 9 anos devora-o e diverte-se imenso a lê-lo.
Penso que é um bom livro para crianças, porque relata em forma de diário as peripécias de uma e ainda surge com o tipo de imagens que uma criança faria para ilustrar o mesmo. Sei que, entre os colegas do ensino básico, este livro está a ser um verdadeiro sucesso.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Robopocalipse
    Inicio este comentário com duas citações. Alan Turing escreveu em 1951: "Parece provável que, uma vez ...
  • 20.12.2014 00:47
  • És o Meu Destino
    Sou uma grande fã de Lesley Pearse e tenho lido todos os livros editados em Portugal. Adoro a escrita ...
  • 16.12.2014 15:34
  • Um Caso de Espíritos
    Uma boa surpresa, este livro. Para quem está habituado a ler policiais em que as descrições são ...
  • 16.12.2014 11:49

Últimos Tópicos

    • Robopocalipse
    • Lido e comentado, regressou a casa.
    • há 1 dia 3 horas
    • Os Salteadores do Nilo
    • Quote: a cris pediu para passar pois já tem muitos livros do segredo vou contactar a...
    • há 1 dia 7 horas
    • És o Meu Destino
    • Quote: Sebastião a ordem foi trocada. Vai seguir hoje para a Liliana Pinto. Alterei a...
    • há 1 dia 18 horas

Uma Pequena Palavra...

“Ler um livro é para o bom leitor conhecer a pessoa e o modo de pensar de alguém que lhe é estranho. É procurar compreendê-lo e, sempre que possível, fazer dele um amigo.”
Hermann Hesse