O Historiador

FaceBook  Twitter  

 

  

 

Autora: Elizabeth Kostova
Edição: Set/2005
Páginas: 600
ISBN: 9789727922307
Editora: Gótica

 



Uma noite, já muito tarde, explorando a biblioteca do pai, uma jovem mulher encontra um livro antigo e um pacote de cartas amarelecidas agoirentamente destinadas ao "Meu querido e desgraçado sucessor". Este achado vai mergulhá-la num mundo com que nunca sonhou - um labirinto onde os segredos do passado do pai e o misterioso destino da mãe se ligam a um mal escondido nas profundezas da história.
Uma sociedade secreta numa luta de séculos contra a mais terrível encarnação do mal. A aventura de uma jovem mulher em busca da verdade sobre os seus pais e sobre o destino do homem que inspirou a lenda de Drácula.

O livro de Elizabeth Kostova é uma aventura de proporções monumentais, fundindo a realidade e a ficção, a história e o fantástico, o presente e o passado, a narrativa na primeira pessoa e diários, cartas, documentos, o romance histórico e o psicológico, o thriller literário e a história de amor.
O Historiador vai ser um dos principais acontecimentos editoriais de 2005, publicado em mais de 20 países.
Leia aqui o 1º capítulo

Comentário:
Adorei o livro. O melhor que li em 2006!
Catiivante, com descrições lindissimas, acção e muito pouco sobre o Drácula em si. Recomendo-o vivamente! 

Autora:

Elizabeth Kostova é autora do bestseller O Historiador. Estudou na prestigiosa Universidade de Yale e tem um mestrado em Belas-Artes da Universidade de Michigan. Os Ladrões de Cisnes foi o seu segundo romance.

Visite o site da autora aqui.

Comentários  

 
#4 Ana Paula Rosa 2013-04-04 14:59
Adorei ler este livro. Dá-nos uma maravilhosa lição sobre a história medieval da Roménia, Bulgária, Hungria e Turquia, principalmente os movimentos invasivos dos Otomanos. Também nos dá uma perspectiva muito interessante sobre o modo de funcionamento da religião cristã nessa área e a tolerância dos invasores em relação às crenças religiosas dos povos conquistados.
Mas o que mais me fascinou foi a forma como a autora conta a história do Vlad Tepes ou, como é mais conhecido, Vlad Drácula, no meio de uma aventura impressionante e aterrorizante, em que não faltam ataques de vampiros, acidentes e outras peripécias. Aventura esta que atravessa várias gerações e várias personagens, todas ligadas por um misterioso livro antigo, com a gravura de um dragão.
Vale a pena ler. São horas de entretenimento e aprendizagem. Recomendo!!!!
 
 
#3 Vanessa Montês 2010-09-19 23:04
A sério, quando acabei este romance apenas consegui pensar "uau!" e ficar sentada na cama com o livro na mão a pensar nele.

Uma filha de um grande historiador, cuja curiosidade pelos factos da história e pelos livros saiu ao pai, não resiste a vaguear pela biblioteca do pai e acaba por encontrar umas velhas e estranhas cartas... Movida pela curiosidade, não resiste e pergunta ao pai de que tratam. O pai, quando soube da descoberta da sua querida filha, fica branco que nem cal e com os olhos cheios de preocupação e começa a contar-lhe uma história inacreditável sobre Vlad, o Empalador, também conhecido por Drácula. Tudo começou com o desaparecimento de Bartholomew Rossi, o professor responsável pela tese de graduação do historiador. E a partir daí, a história segue um caminho estranho e em diversas mentes e tempos... Tanto estamos no presente do livro, como vivemos ao mesmo tempo a história contada por este pai, como vivemos um passado entre o passado da história e o presente.

Para quem não sabe, Vlad III - o Empalador, era um conquistador do século XV, que aprendeu com os Otomanos, a quem foi "vendido" em pequeno pelo pai num negócio de expansão do reino, diversos métodos muitíssimo sádicos de tortura. Ficou conhecido como Empalador, pois esta era a sua forma favorita de tortura, que consistia literalmente em enfiar uma estaca de grandes dimensões através do ânus ou dos órgãos genitais, da pessoa que era torturada, e empurrá-la até sair por outra parte do corpo, o que naturalmente proporcionava a morta da pessoa exposta a tal crueldade. Vlad é referido em inúmeros documentos históricos como Draculea ou Drakulya que significa "filho do dragão", pois o seu pai tinha o nome de Vlad Dracul (Dracul=Dragão) . Vlad III serviu de inspiração para o famoso e também sádico vampiro Drácula do romance de Bram Stoker.

Este romance foi nomeado o Livro do Ano pelo Book Sense, na categoria Ficção Adulta e com toda a razão. É um livro que consegue prender o leitor do início ao fim e que tem uma história com todos os ingredientes necessários para agradar a um público muito extenso. Tem romance, mistério, aventura, história e muito mais! A escrita da autora é fluída e muito simples e consegue dar-nos uma autêntica aula de história sobre Vlad de uma forma muito suave e simples de perceber. As personagens foram muito bem construídas, tendo todas coragem, medos e força, conseguindo fazer-nos querer saber mais e mais sobre elas e fá-lo muitas vezes revelando pequenos pormenores do presente e assim ficamos com curiosidade de saber o que aconteceu no passado.

Sem dúvida, um livro excelente e apenas tive pena de não pegar nele mais cedo, porque o volume assustou-me (quase 600 páginas). Recomendo vivamente a quem tiver a oportunidade de o ler!!
 
 
#2 Maria João 2009-02-25 14:34
Uma grande obra, sem margem para dúvida. já o li e reli e na minha opinião surgem sempre detalhes novos, novas visões daquilo que foi escrito. Um dos livros da minha vida.
 
 
#1 Sebastião Barata 2008-01-05 19:26
Acabo de ler esta espectacular obra. Foi um pouco difícil, porque são 600 páginas em letra pequena! Mas valeu a pena.
Que mais posso dizer, para além do que já foi dito? É uma narrativa que cativa o leitor do princípio ao fim. Exige concentração, porque intercala capítulos passados em épocas diferentes.
A trama envolve três gerações de historiadores, cada uma das quais continua as investigações da geração anterior e, por isso, se vê envolvida nos mesmos problemas.
Fez-me lembrar "O Pêndulo de Foucault" de Umberto Eco, pela forma como a história se desenrola.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Hugo Chávez, o colapso da Venezuela
    Gosto de estar bem informado e não fazer juízos sem conhecimento de causa. O governo da Venezuela tem ...
  • 02.09.2019 14:09
  • Autobiografia
    "Autobiografia" , o novo romance de José Luís Peixoto, é o 3º livro que leio deste autor. Os anteriores ...
  • 18.08.2019 17:41
  • A Dama do Quimono Branco
    Com este volume, termina a saga do Samurai Negro, constituída por uma trilogia de romances históricos ...
  • 29.07.2019 17:54

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

 "A beleza é diferente para cada um de nós. É como a felicidade. Cada um tem o seu conceito de felicidade."
Fernando Sobral in O navio do Ópio