O Novo Membro

FaceBook  Twitter  

 

 

 

Autor: Bruno Franco
Edição: Abr/2010
Páginas: 345
ISBN: 9789896176136
Editora: Corpos Editora

 

 

Nos arredores de Almada dava-se o primeiro passo para uma terrível e surpreendente fase em Portugal. Alex, uma pessoa bastante peculiar, desejava ardentemente ingressar numa determinada e também ela peculiar sociedade secreta, que estava ainda em crescimento, mas que tinha grandes ambições e potencialidades. O líder, Ferro, impôs uma condição: Alex teria de passar por uma missão muito perigosa e sangrenta, para provar a sua lealdade, coragem, inteligência e determinação. Era uma missão assustadoramente bem organizada, e eles sabiam que nem o aclamado detective Rodrigo Tavares seria capaz de os apanhar.

Durante a investigação, Rodrigo Tavares depara-se com um número escrito com impiedosas facadas numa das vítimas que o transporta para algo bem mais perigoso e grandioso do que à partida se supunha.
311

Este número aparentemente inofensivo escondia uma terrível verdade e fê-lo perceber que os assassinatos não eram aleatórios, e que o elo de ligação entre as vítimas, mestriamente escondido, revelava-se ser catastrófico para ele mesmo.

Num policial cheio de acção e emoção, e com a ajuda de dois agentes da PSP e do seu parceiro da PJ, Rodrigo perseguirá Alex até ao fim, e tentará fazer o que eles acreditam ser impossível até para o mais astuto e inteligente dos detectives portugueses.

Autor:

Bruno Franco é um jovem que nasceu a 26 de Setembro de 1990. Actualmente vive em Corroios, Concelho do Seixal. A sua paixão pela escrita foi algo que surgiu de forma natural, quando tinha apenas 14 anos, e veio para ficar. Pertence à equipa de natação de competição do Clube Lisnave, onde está há bastantes anos federado, e está a tirar o curso de Radioterapia na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa. O Novo Membro é o seu primeiro livro publicado.
Mais informações aqui.

Veja o booktrailer aqui:

Comentários  

 
+16 #1 Andreia Teixeira 2010-09-09 21:53
Esta leitura, para além de bastante emocionante, acabou por ser, também, uma grande lição de cultura geral. No seu primeiro policial, Bruno Franco surpreendeu-me bastante pela positiva.

Com uma escrita segura, bem pontuada e sem falhas aparentes, o autor conseguiu construir uma teia firme de acontecimentos, muitas vezes, imprevisíveis. É um livro que se lê bastante bem, que nos prende à leitura e que quando damos conta já vamos quase a meio do livro.

Temos então duas personagens centrais, Rodrigo - a principal - e Fábio Costa - o companheiro de Rodrigo nas suas investigações. Quando estes se deparam com o primeiro assassinato, para além de Alex não ter deixado pista alguma, eles não conseguem ver motivo algum para tal ter acontecido. Até que Rodrigo tem um primeiro palpite que vai sendo posto à prova morte após morte.
O autor consegue realmente com que fiquemos baralhados com os acontecimentos e ansiosos por mais desenvolvimento s. Parece que, às tantas, já só queremos que aconteça a próxima morte para algo mais nos ser revelado.
Um aspecto que por vezes achei um pouco infantil, na minha opinião pessoal, foram algumas demonstrações de afecto entre os companheiros e o excessivo deslumbramento que por vezes Fábio demonstra por Rodrigo. O mesmo acontece com a dupla de policiais - agente Horta e Fonseca - que vão auxiliando estes dois detectives.
O romance que existe entre Rodrigo e outra personagem, está também ele bastante saudável, nada forçado ou exagerado e com uma pontinha de erotismo que assentou bastante bem.

Acima de tudo, achei que está aqui um bom policial para jovens/adultos, cuja escrita vai ficando mais madura ao longo do livro. Achei espantoso o que ele fez com a personagem Alex. Bastante imprevisível e que me espantou imenso. Ele leva-nos a pensar algo sobre a sua identidade ao longo do livro todo e, de repente, troca-nos as voltas todas.
O autor demonstra, assim, um grande potencial e uma imaginação bastante criativa.

Justificando o porquê de achar que foi uma lição de cultura geral, posso dizer-vos que a base das premissas que o autor constrói para os assassinatos, é bem justificada e explicada, dando assim a conhecer bastante aspectos em relação a alguns factos que penso que muita gente desconhece. Levantando um pouco o véu, o que sabem vocês sobre os Ku Klux Klan e as suas motivações?
Mas mais não digo. Se ficaram curiosos, leiam o livro!

Fica aqui, então, uma nota bastante positiva para o autor que me parece bastante promissor. Com um fim que penso que ficou em aberto, fico na expectativa se o Bruno vai continuar a escrever nestes moldes com a mesma personagem principal.
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A arte de caçar destinos
    Quando estava a acabar de ler este livro, comecei a ficar cheio de ideias para fazer um extenso ...
  • 11.09.2017 13:43
  • A Sibila
    Em simultâneo com um livro infantil, esta é a primeira grande obra de Agustina Bessa-Luís a ser lançada ...
  • 28.08.2017 09:22
  • Terrarium
    Não sei se todos os que estão a ler este comentário sabem o que é um "Terrarium". Para quem não sabe ...
  • 19.08.2017 23:11

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

"O Homem e o escritor são a mesma pessoa. Mas este facto constitui a maior descoberta de um escritor. Precisei de muito tempo - e de quantas páginas escritas! - para chegar a essa síntese."
V.S.Naipaul, in O Enigma da Chegada.