O Príncipe da Neblina

Autor: Carlos Ruiz Zafón
Trilogia:
Neblina (Vol. 1)
Edição: Out/2011
Páginas: 208
ISBN: 9789896572198
Editora: Planeta

 

 

Uma história de aventura e mistério para jovens dos 9 aos 99 anos.
«Eu queria escrever um tipo de livro semelhante aos que me fascinaram quando tinha treze anos, e nessa idade interessava-me por Stephen King e Peter Straub. O Príncipe da Neblina é provavelmente uma ideia tão cinematográfica quanto literária.» Carlos Ruiz Zafón
A história decorre numa aldeia da costa sul inglesa durante o Verão de 1943, localidade para onde a família Carver se mudou.

A nova casa dos Carver está rodeada de mistério. Respira-se e sente-se a presença do espírito de Jacob, o filho dos antigos donos, que morreu afogado.
As estranhas circunstâncias dessa morte só se começam a perceber à medida que os jovens Max, a irmã Alicia e o amigo Roland vão descobrindo factos muito perturbadores sobre uma misteriosa personagem de seu nome… o Príncipe da Neblina.
Os três jovens terão de enfrentar esta diabólica figura capaz de tornar realidade todos os desejos em troca de um elevado preço.

Deste autor no Segredo dos Livros:
O Jogo do Anjo
Marina

Autor – Carlos Ruiz Zafón

Autor:

Carlos Ruiz Zafón é um dos autores mais lidos e reconhecidos em todo o mundo. Nasceu em Barcelona em 1964 e iniciou a sua carreira literária em 1993 com O Príncipe da Neblina (Prémio Edebé), a que se seguiram O Palácio da Meia-Noite e As Luzes de Setembro (reunidos no volume A Trilogia da Neblina) e Marina. Em 2001 foi publicado o seu primeiro romance para adultos, A Sombra do Vento, que rapidamente se transforma num fenómeno literário internacional. Com O Jogo de Anjo (2008) regressou ao Cemitério dos Livros Esquecidos, trilogia que termina com O Labirinto dos Espíritos (2016). As suas obras foram traduzidas em mais de quarenta línguas e conquistaram numerosos prémios e milhões de leitores nos cinco continentes.
Atualmente, Carlos Ruiz Zafón reside em Los Angeles e colabora habitualmente com La Vanguardia e El País.

Saiba mais sobre o autor e a sua obra em www.carlosruizzafon.com

5 comentários
0 likes
Anterior: O Anel MágicoSeguinte: Como Ver, Ouvir e Sentir os Nossos Anjos

Comentários

  • Vanessa Montês

    Agosto 14, 2012 às 11:33
    Responder

    Gosto imenso deste autor. Tem uma forma de escrever única e consegue escrever fantasia de uma forma demasiado real e que nos faz acreditar que tal pode mesmo acontecer, que tal existe. Foi assim, já tendo a certeza de que ia gostar deste livro, que o comecei a ler.A família Carver muda de casa para uma zona muitíssimo calma à beira mar. Num dos primeiros dias, Max Carver conhece Roland, um rapaz mais velho muitíssimo simpático, curioso e interessante. De imediato ficam amigos e Roland mostra a Carver os seus lugares favoritos e o seu passatempo favorito, o mergulho! Embora […] Ler Mais...Gosto imenso deste autor. Tem uma forma de escrever única e consegue escrever fantasia de uma forma demasiado real e que nos faz acreditar que tal pode mesmo acontecer, que tal existe. Foi assim, já tendo a certeza de que ia gostar deste livro, que o comecei a ler.A família Carver muda de casa para uma zona muitíssimo calma à beira mar. Num dos primeiros dias, Max Carver conhece Roland, um rapaz mais velho muitíssimo simpático, curioso e interessante. De imediato ficam amigos e Roland mostra a Carver os seus lugares favoritos e o seu passatempo favorito, o mergulho! Embora Max e a sua irmã, Alicia, não saibam nadar muito bem, depressa o entusiasmo de Roland os faz ganhar uma nova perspectiva, e o mergulho começa a ser algo que decidem fazer praticamente todos os dias. Mas acontece que nem tudo é assim tão perfeito e, quando Max começa a ver uma estranha neblina com aspecto humano e um símbolo estranho que não lhe sai da cabeça, decide averiguar o que se passou naquela pequena aldeia. O que acaba por descobrir não é, nem de perto, o que ele pensara que podia ser a razão de tão estranhas visões!Este é um livro pequenino que se lê em pouquíssimas horas, ou não fossem as 200 páginas escritas em letras bem grandinhas e a escrita ser aquela a Zafón já nos habituou. De leitura fácil e absorvente, temos uma história envolvente, cujas personagens nos surpreendem do início ao fim. O fim foi maravilhoso e com reviravoltas inesperadas! Este fim deixa-nos imaginar o que irá acontecer a Max, a personagem principal, como irá ser o seu futuro. Gostei muito deste livro e estou muito curiosa com os restantes livros desta trilogia! Read Less

  • Filipe Dias

    Julho 23, 2012 às 17:26
    Responder

    Já conhecia o autor, mas somente de ver os livros dele nas estantes de livrarias e postos de vendas. Este foi o primeiro livro que li de Zafón e digo o primeiro, porque fiquei rendido e quero ler mais. Mas vamos ao livro.Ao ler o título e a sinopse, percebi que se trataria de uma fábula, de um conto do género fantástico, com príncipes e magia, etc... E foi isso que vim a comprovar.Quando a família de Max se muda para a casa nova, nota-se, desde o início, que há um mistério no ar, algo que não bate certo e […] Ler Mais...Já conhecia o autor, mas somente de ver os livros dele nas estantes de livrarias e postos de vendas. Este foi o primeiro livro que li de Zafón e digo o primeiro, porque fiquei rendido e quero ler mais. Mas vamos ao livro.Ao ler o título e a sinopse, percebi que se trataria de uma fábula, de um conto do género fantástico, com príncipes e magia, etc... E foi isso que vim a comprovar.Quando a família de Max se muda para a casa nova, nota-se, desde o início, que há um mistério no ar, algo que não bate certo e que é um pouco sobrenatural. A pouco e pouco, Max começa a sentir um rol de estranhos acontecimentos e associações, que lhe confere uma curiosidade cada vez mais intensa. As confirmações surgem quando conhece Roland e o seu avô. O avô conta-lhes uma história incompleta da verdade. O temor aparece, os perigos e incertezas acontecem e há um mistério a resolver, para bem de todos, para bem da segurança de todos. Todos estão envolvidos e correm perigo. Há que tomar atitudes e desvendar o perigo.Estes são os motivos condutores da história deste livro que comecei a ler sem grandes expectativas do que iria encontrar, mas que convergem com a sinopse e o título. Uma agradável surpresa de leitura, que nos envolve em curiosidade desde o princípio e que nos prende ao livro até acabar. Uma leitura leve e fácil, em contexto natural e normal... Foram momentos bem passados na companhia deste livro. Recomendo... Read Less

  • PCCST

    Julho 13, 2012 às 10:38
    Responder

    O Príncipe da Neblina contém, na minha opinião, um dos mais belos prólogos de que me recordo e penso que tenha sido este o factor que me fez ler o livro de um fôlego só. Carlos Ruiz Zafon criou assim uma espécie de fábula, em que a personagem principal, Caín, o tão conhecido Príncipe da Neblina, adquire variadíssimas formas. Além disso, acaba por ser uma leitura intemporal, uma vez que o tema principal do livro, os desejos e o facto de tudo ter um preço, é algo que nos acompanha e continuará a acompanhar.Tendo Roland, Alicia e Max como personagens […] Ler Mais...O Príncipe da Neblina contém, na minha opinião, um dos mais belos prólogos de que me recordo e penso que tenha sido este o factor que me fez ler o livro de um fôlego só. Carlos Ruiz Zafon criou assim uma espécie de fábula, em que a personagem principal, Caín, o tão conhecido Príncipe da Neblina, adquire variadíssimas formas. Além disso, acaba por ser uma leitura intemporal, uma vez que o tema principal do livro, os desejos e o facto de tudo ter um preço, é algo que nos acompanha e continuará a acompanhar.Tendo Roland, Alicia e Max como personagens principais, ficou comprovado que tudo tem um preço e os desejos concedidos pelo Príncipe da Neblina têm um preço demasiado alto.Esta leitura foi uma verdadeira corrida contra o tempo para chegar ao fim. Não conhecia as obras de Carlos Ruiz Zafon, apesar de ter boas referências, e penso que comecei da melhor forma. Aconselho vivamente este livro. Read Less

  • Maria João

    Julho 3, 2012 às 16:27
    Responder

    Sempre achei este escritor maravilhoso. Cativou-me com A Sombra do Vento e, desde aí, nunca me desiludiu.Esta sua nova obra não é excepção. Cativou-me desde a primeira página. Só lamento que tenha terminado tão depressa.Podemos começar pelas paisagens de Inglaterra, que ele descreve com uma mestria tal que parece que nos encontramos lá. Consegue-se mesmo ouvir as ondas a bater contra as rochas. Depois a caracterização das personagens, onde nos dá pequenos pormenores essenciais para criarmos as personagens na nossa mente, as boas e as más, pois não é nada bom ter a companhia do príncipe da neblina. E depois […] Ler Mais...Sempre achei este escritor maravilhoso. Cativou-me com A Sombra do Vento e, desde aí, nunca me desiludiu.Esta sua nova obra não é excepção. Cativou-me desde a primeira página. Só lamento que tenha terminado tão depressa.Podemos começar pelas paisagens de Inglaterra, que ele descreve com uma mestria tal que parece que nos encontramos lá. Consegue-se mesmo ouvir as ondas a bater contra as rochas. Depois a caracterização das personagens, onde nos dá pequenos pormenores essenciais para criarmos as personagens na nossa mente, as boas e as más, pois não é nada bom ter a companhia do príncipe da neblina. E depois o desenrolar da trama em si. De um ritmo maravilhoso, não existem momentos mortos, nem aqueles em que ficamos a pensar o que isto tem a ver. Quando por fim temos a solução do mistério, eu, pelo menos, fiquei surpreendida, não esperava essa reviravolta.Um livro para ler e reler. Read Less

  • Vera Neves

    Julho 2, 2012 às 14:28
    Responder

    O único livro do autor que li até ao momento, foi o Marina e confesso que me desiludiu. Por isso, foi com uma certa dúvida que peguei no Príncipe da Neblina, dúvida essa que se dissipou logo no Prólogo: o autor envolveu-me na magia das suas palavras desde a primeira página.O livro é pequeno e a narrativa suficientemente interessante para nos fazer ler de um fôlego as 208 páginas.A partir do momento em que Max e sua família se mudam para uma casa junto à praia, na costa sul de Inglaterra, o destino deles irá alterar-se para sempre. Uma série […] Ler Mais...O único livro do autor que li até ao momento, foi o Marina e confesso que me desiludiu. Por isso, foi com uma certa dúvida que peguei no Príncipe da Neblina, dúvida essa que se dissipou logo no Prólogo: o autor envolveu-me na magia das suas palavras desde a primeira página.O livro é pequeno e a narrativa suficientemente interessante para nos fazer ler de um fôlego as 208 páginas.A partir do momento em que Max e sua família se mudam para uma casa junto à praia, na costa sul de Inglaterra, o destino deles irá alterar-se para sempre. Uma série de acontecimentos suscitam a curiosidade de Max e da sua irmã, Alicia, que juntamente com o novo amigo, Roland irão descobrir um enigma que surgiu há muitos anos atrás, envolto na neblina, quando o avô de Roland, Kray, descobre que todos os desejos têm um preço e que uma promessa é para ser cumprida. Os mecanismos estão em acção e nada poderá deter o Príncipe da Neblina.O autor escreve de forma inteligente, faz-nos ficar em suspense e sentir calafrios. As descrições e toda a acção são simples mas envolventes, a imaginação flutua nos locais descritos por Zafón e rapidamente chegamos à última página, ansiando por mais. Read Less

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes