Raptada


Autora: Margaret Wilcox
Edição: Jul/2010
Páginas: 320
Editor: Albatroz (Grupo PE)

Em 1977, Margaret Wilcox enfrentou o pior pesadelo de uma mãe – o rapto da filha. O raptor não era um desconhecido, mas Hadi Senussi, o pai da criança.
Em 1969, numa festa de S. Valentim em Trípoli, na Líbia, Margaret conhece Hadi, um charmoso homem de negócios. Arrebatada pelos modos encantadores do líbio, Margaret aceita casar-se com ele e os dois partem para uma vida de conto de fadas em Espanha. Mas, com o nascimento de Tanya, Hadi transforma-se num autêntico tirano, pelo que, três anos mais tarde, tentando escapar às garras do marido, Margaret foge para Londres com a filha.

Enquanto luta para começar uma nova vida, o passado regressa para a atormentar – o marido segue-a e rapta Tanya, dizendo à filha que a mãe tinha morrido.
Raptada conta a longa e dramática viagem de Margaret Wilcox para recuperar a filha, viagem essa que durou catorze anos e a levou a vários lugares do mundo e às partes mais sombrias da mente humana.

Autora:
Nasceu em Sydney. Com a ambição de conhecer o mundo, deixou a Austrália em 1966, onde só regressou passados trinta anos. Fez carreira na indústria petrolífera e do alumínio no Médio Oriente. Ajudou a estabelecer a Al Noor, a primeira escola para crianças com necessidades especiais, no Dubai.
Actualmente, vive em Sydney, onde escreve, participa em escavações de paleontologia e faz trabalho de voluntariado, bem como angariação de fundos para crianças com necessidades especiais.

1 comentários
1 like
Anterior: Os Passos PerdidosSeguinte: Nômade

Comentários

  • Vera Mouta

    Setembro 4, 2010 às 21:43
    Responder

    Livro que conta a história verídica de Margaret Wilcox na sua luta pela guarda da filha, Tanya.A história aqui contada começa em finais dos anos 60 quando Margaret, a trabalhar na Líbia, encontra o seu futuro marido – Hadi. Ela conta como a relação evoluiu e o porque de terem casado tão cedo (tinham poucos meses de namoro).Hadi pertencia à família que estava no poder na Líbia naquela altura, mas depois deu-se uma revolução e tiveram que sair do país, por isso foram para Espanha.Como imaginam, a cultura árabe é muito diferente da nossa, no entanto como Hadi tinha vários […] Ler Mais...Livro que conta a história verídica de Margaret Wilcox na sua luta pela guarda da filha, Tanya.A história aqui contada começa em finais dos anos 60 quando Margaret, a trabalhar na Líbia, encontra o seu futuro marido – Hadi. Ela conta como a relação evoluiu e o porque de terem casado tão cedo (tinham poucos meses de namoro).Hadi pertencia à família que estava no poder na Líbia naquela altura, mas depois deu-se uma revolução e tiveram que sair do país, por isso foram para Espanha.Como imaginam, a cultura árabe é muito diferente da nossa, no entanto como Hadi tinha vários negócios na Europa e mesmo fisicamente poderia passar por europeu, Margaret nunca pensou que ele tivesse uma mentalidade tão fechada. Mas foi isso que, aos poucos, se começou a notar. A partir do momento que a Tanya foi raptada, Margaret tentou por todos os meios encontrá-la, nem que para isso andasse a voar de país para país, por mais fraca que fosse a pista. Contratou vários advogados nas diferentes cidades em que pensou que Tanya e Hadi pudessem estar, contratou detectives particulares para seguirem pistas e no final realmente conseguiu encontrá-los. No entanto foi uma batalha, pois Tanya pensava que a mãe estava morta e Hadi não queria que Margaret tivesse contacto com a filha.Eu devo dizer que, ao ler este livro, é revoltante ver como os homens tinham todo o poder que quisessem, ainda para mais nos anos em que se passou isto – 80/90 - em que a mentalidade das pessoas e as leis eram retrógradas. E como foi um dos progenitores que levou a Tanya, não era considerado um crime.Claro que o livro tem um final feliz, dentro do possível, mas foi complicada a interacção entre duas pessoas que não se conheciam e tinham esse laço sanguíneo de mãe e filha. Read Less

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes