Só Tinha Saudades de Contar uma História

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: Joel Neto
Género: Romance
Edição: Jan/2019
Páginas: 64
ISBN: 9789895425631
Editora: Cultura

 

 


Um bom contador de histórias sabe sempre quando parar

Num bairro indistinto de uma grande cidade, um polícia faz-se contador de histórias. Todos os dias, pela manhã, um grupo de rapazotes se reúne à volta daquele homem grande e negro, a ouvir os relatos maravilhosos de outros povos e geografias. Mas a rotina acaba por ser perturbada pelo crescimento da fama do polícia e a chegada de novos ouvintes.

EXCERTO: “Quando nos distraíamos, recorria de imediato a um pormenor picante – cuecas de renda vermelha, um espião dissimulado na noite, um vento saído de um recanto escuro de uma casa abandonada, e que nós sentíamos no pescoço. Às vezes era misterioso, outras divertido, outras apenas enternecedor.”

Deste autor no Segredo dos Livros:
Meridiano 28
A Vida no Campo
Uma Dor Tão Desigual (coautor)

Autor:

Joel Neto (n. 1974) é um romancista e colunista português. Escreveu uma dúzia de livros dos mais diferentes géneros e destacou-se em especial com Arquipélago (romance, Marcador, 2015), A Vida no Campo (diário, Marcador, 2016) e Meridiano 28 (romance, Cultura, 2018), bem acolhidas pelos leitores, a crítica e os media.
«Será difícil, e talvez inútil, rotulá-lo quanto à sua filiação literária, tanto nos Açores como no continente», escreveu sobre este último João de Melo, autor de Gente Feliz Com Lágrimas e O Meu Mundo Não É Deste Reino. «A única evidência, e sobretudo a mais natural, é a da sua pertença à grande literatura portuguesa. Ponto final.»
Joel Neto nasceu na ilha Terceira, nos Açores, e mudou-se para Lisboa no final da adolescência, para estudar Relações Internacionais no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Depois de década e meia de trabalho como repórter, editor e chefe de redação na maior parte dos grandes jornais e revistas portugueses, voltou à ilha natal em 2012, determinado a dedicar-se inteiramente à literatura.
Vive desde então no lugar dos Dois Caminhos, freguesia da Terra Chã, na companhia da mulher, a tradutora Catarina Ferreira de Almeida, e dos dois cães. Colunista de alguns dos principais jornais nacionais, nomeadamente Diário de Notícias e O Jogo, publica regularmente em revistas e antologias literárias portuguesas e estrangeiras. Tem livros e/ou contos publicados em países como Reino Unido, Espanha, Itália, Polónia, Brasil ou Japão.

Saiba mais em www.joelneto.com

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • 25 de Abril, Corte e Costura
    Este livro é exatamente o que eu esperava dele: uma sucessão de quadros em que se ridiculariza a ...
  • 28.04.2019 21:03
  • A Aluna Americana
    Este é o mais recente romance de João Pedro Marques, autor de, entre outros, "Uma Fazenda em África" ...
  • 25.04.2019 20:42
  • O Último Cabalista de Lisboa
    Consegui, finalmente, ler este livro que foi o primeiro romance de Richard Zimler. Publicado em 1996 ...
  • 07.04.2019 23:56

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

“E desde então decidi que a POESIA é a forma mais curta, mais doce, mais explosiva. Para que escrever um romance se é possível dizer o mesmo em dez linhas?”
Charles Bukowski