Sonhar as Estrelas

FaceBook  Twitter  

 

 

  

 

Autora: Linda Gillard
Edição: Mai/2009
Páginas: 244
Editora: Europa-América

Marianne Fraser, cega à nascença, viúva na casa dos 20 e solitária aos 40, vive num elegante bairro de Edimburgo na companhia da sua irmã Louisa, uma escritora de sucesso. A natureza apaixonada de Marianne encontra consolo e expressão na música, um amor que partilha com Keir, um homem com quem se cruza à porta de sua casa numa noite de Inverno.
Embora vários homens tenham surgido na vida de Marianne, Keir não se compadece com a sua situação. É rude mas também estranhamente delicado. Mas pode Marianne confiar nos seus sentimentos por este desconhecido solitário que quer levá-la para a sua casa na ilha de Skye e «mostrar-lhe» as estrelas?

Autora:
Linda Gillard vive na ilha de Skye, a noroeste da Escócia. Foi actriz, professora e jornalista, antes de se dedicar à escrita a tempo inteiro.
É a autora de Emotional Geology e A Lifetime Burning.

Comentários  

 
#3 Cristina Delgado 2011-06-29 13:26
Este livro fez-me fechar os olhos quando li a última frase. Não para tentar "visualizar" o que seria ser cega, mas para melhor apreciá-lo. É um daqueles livros cor-de-rosa com um final feliz, mas quando digo isto não quero que interpretem mal. Gostei muito de o ler - dei 5* estrelas, não dei? É que queremos mesmo que ele acabe bem, para podermos sossegar, tantos são os infortúnios que acompanham a personagem principal!

Fez-me pensar na cegueira, a cegueira de quem nunca pôde ver... O que é não saber o que significa cor, nunca ter visto o céu, o mar, os bandos de pássaros a voar, uma paisagem, tantas e tantas coisas a que, muitas vezes, não sabemos dar valor!

A importância dos sons, da música, como se pode "ver" de outras formas, dos perigos a que estão sujeitos os invisuais - tudo nos faz reflectir e agradecer o dom da visão. Fez-me pesquisar e saber mais sobre a Amaurose Congénita de Leber e sobre Piper Alpha. Aconselho vivamente esta leitura!
 
 
#2 Sandra Nunes 2011-03-14 22:30
O livro relata a envolvente vida de uma mulher de 42 anos, invisual à nascença, viúva desde os 27 anos, que vive com a irmã solteira e escritora famosa.
Um dia, no seu habitual passeio ao jardim botânico, conhece Keir, um homem que partilha o seu amor pela música e, a maior das coincidências, tem o mesmo nome que o seu falecido marido e o mesmo tipo perigoso de trabalho que o matou.
Keir ensina-a a “ver” com sinfonias, o que ela não pode ver com os olhos e mostra-lhe que viver sem compromisso não evita o sofrimento.
Para Marianne tudo recomeça, quando dá por si, com 42 anos, cega, grávida, sozinha...
Um livro que nos leva a pensar que muitas vezes somos mais cegos do que aqueles que realmente o são…
Uma história enternecedora, envolvente e cativante.
 
 
-1 #1 Fátima Rodrigues 2010-12-20 23:17
Ainda não terminei de ler este maravilhoso livro, mas não resisto a deixar já uma opinião sobre ele. Trata-se de um dos melhores livros que já li dentro do género romance/ficção. A autora consegue com mestria fazer-nos viver dentro da pele da Marianne, uma cega de nascença, viúva aos vinte e sete anos e que perdeu o bebé que estava para ter pouco depois da morte do marido.
Neste livro, iremos "ver" através da sua sensibilidade, do seu coração quente e descomplexado, amar sem limites e regras e viver um novo amor, uma nova aventura numa ilha britânica de sonho. Trata-se de um livro que, apenas tendo lido três ou quatro páginas, já nos conquistou e que não nos deixará descansar até terminar, deixando-nos uma sensação de bem-estar e um sorriso permanente nos lábios, enquanto o lemos. Uma escrita viciante, com humor e realismo, por uma autora que desconhecia, mas que não deixarei mais de seguir. Fantástico!

--------
Agora que já terminei de o ler, posso confirmar que é um belissimo livro, com uma história que nos toca e uma escrita extremamente doce mas realista. Sem dúvida, um livro que não se esquece!
 

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Pão de Açúcar
    Faz agora em fevereiro catorze anos que se deu um acontecimento que apaixonou o País e deixou os ...
  • 02.02.2020 22:44
  • Budapeste
    Este livro fala de uma profissão que muitos podem considerar ficção, mas é muito real e mais vulgar do ...
  • 18.01.2020 23:22
  • A Luz de Pequim
    Apesar de ter vários livros do autor na estante, ainda não tinha tido a oportunidade de ler qualquer ...
  • 15.01.2020 13:56

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

“Em geral quando termino um livro encontro-me numa confusão de sentimentos, um misto de alegria, alívio e vaga tristeza. Relendo a obra mais tarde, quase sempre penso: não era bem isto o que queria dizer.”
Érico Veríssimo