Um Estranho em Goa

Autor: José Eduardo Agualusa
Edição:
Out/2013
Páginas: 208
ISBN: 9789897221262
Editora: Quetzal

 

 


Um escritor parte para Goa à procura de uma lenda – o Comandante Maciel, de seu verdadeiro nome Plácido Afonso Domingo, antigo comandante de guerrilhas, em Angola, ou, segundo outras versões, um agente infiltrado da polícia política portuguesa. O que encontra é uma lenda maior, e muitíssimo mais fascinante. Um Estranho em Goa é um roteiro por um território antiquíssimo, onde a realidade e a magia se passeiam de mãos dadas.

“O Diabo nunca anda muito longe do Paraíso” – lembra um dos personagens. Neste maravilhoso romance – que é, também, uma biografia do Diabo –, ele pode estar em toda a parte. O que une, afinal, um traficante de relíquias religiosas, uma bela e misteriosa historiadora de arte, especializada na recuperação de livros antigos, ou um sedutor empresário neopagão? E quem é Plácido Domingo?

Deste autor no Segredo dos Livros:
Um pai em nascimento

Autor – José Eduardo Agualusa

Autor:

José Eduardo Agualusa nasceu na cidade do Huambo, em Angola, a 13 de dezembro de 1960. Estudou Agronomia e Silvicultura. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro e Berlim. É romancista, contista, cronista e autor de literatura infantil. Os seus romances têm sido distinguidos com os mais prestigiados prémios nacionais e estrangeiros, como, por exemplo, o Grande Prémio de Literatura da RTP (atribuído a Nação Crioula, 1998); também os seus contos e livros infantis foram merecedores de prémios, como o Grande Prémio de Conto da APE e o Grande Prémio de Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian, respetivamente. O Vendedor de Passados ganhou o Independent Foreign Fiction Prize, em 2004, e, mais recentemente, o romance Teoria Geral do Esquecimento foi finalista do Man Booker International, em 2016, e vencedor do International Dublin Literary Award (antigo IMPAC Dublin Award), em 2017. A sua obra está publicada na Quetzal e traduzida em dezenas de línguas.

Saiba mais sobre o autor e a sua obra em www.agualusa.pt

2 comentários
0 likes
Anterior: Porto de Encontro apresenta A DesumanizaçãoSeguinte: Regresso ao Suez

Comments

  • Catia Silva

    Novembro 11, 2013 at 15:49
    Reply

    A sinopse deste fascinou-me logo no princípio, pelo simples facto de referir que as personagens se movem entre Lisboa, Índia e Angola. Isso chamou-me logo a atenção e deu-me uma grande vontade de pegar no livro e esconder-me do mundo, pois eu nasci em Nova Lisboa (agora Huambo, onde o escritor também nasceu), vim para Lisboa em 75 (ano em que uma parte do enredo se passa, o jornalista busca reconstituir a história de Plácido Domingo) e já estive durante um mês a descobrir a Índia (com pena minha não fui a Goa, mas estive no Sul da Índia).Gostei muito […] Ler Mais...A sinopse deste fascinou-me logo no princípio, pelo simples facto de referir que as personagens se movem entre Lisboa, Índia e Angola. Isso chamou-me logo a atenção e deu-me uma grande vontade de pegar no livro e esconder-me do mundo, pois eu nasci em Nova Lisboa (agora Huambo, onde o escritor também nasceu), vim para Lisboa em 75 (ano em que uma parte do enredo se passa, o jornalista busca reconstituir a história de Plácido Domingo) e já estive durante um mês a descobrir a Índia (com pena minha não fui a Goa, mas estive no Sul da Índia).Gostei muito de mergulhar nas descrições sobre a Índia e todas as particularidades de uma cultura que mistura a herança portuguesa e a inglesa com a do povo hindu. O local é apenas um dos cenários de colonização portuguesa no qual o romance é integrado, mas fez-me recordar os costumes dos indianos e os cheiros tão característicos da Índia. O escritor José Eduardo Agualusa também retrata no livro – em tempos diferentes - a Angola à beira da guerra pela independência, durante o processo de descolonização. Read Less

  • João Teixeira

    Outubro 16, 2013 at 21:20
    Reply

    Que agradável surpresa foi conhecer este autor. O primeiro livro que li dele (e até agora o único, mais por falta de oportunidade do que de vontade) revelou-se-me uma verdadeira maravilha.Gostei bastante deste livro, apesar de muitos mistérios ficarem por decifrar, ou então serem decifrados de forma subtil. Não será mesmo esse o encanto deste [i]Estranho em Goa[/i]? O que é interessante é mesmo o facto de este ser um livro difícil de classificar, pois mistura um pouco de ficção com reportagem jornalística, literatura de viagem com memórias. Este é um livro que vale muito a pena ler e que […] Ler Mais...Que agradável surpresa foi conhecer este autor. O primeiro livro que li dele (e até agora o único, mais por falta de oportunidade do que de vontade) revelou-se-me uma verdadeira maravilha.Gostei bastante deste livro, apesar de muitos mistérios ficarem por decifrar, ou então serem decifrados de forma subtil. Não será mesmo esse o encanto deste [i]Estranho em Goa[/i]? O que é interessante é mesmo o facto de este ser um livro difícil de classificar, pois mistura um pouco de ficção com reportagem jornalística, literatura de viagem com memórias. Este é um livro que vale muito a pena ler e que julgo ser uma boa iniciação a José Eduardo Agualusa.8 em 10 estrelas Read Less

Comentar