Uma Espia no Meu Passado

 

 

 

Autora: Lucinda Riley
Edição: Jun/2013
Páginas: 496
ISBN: 9789892323619
Editora: ASA

 

 

Côte d`Azur, 1998. Émilie lutou sempre contra o seu passado aristocrático. Agora, com a morte da mãe, é obrigada a confrontá-lo pois é a única herdeira do imponente castelo da família. Mas com a casa vem uma pesada dívida e muitas interrogações: qual era a finalidade do quarto secreto que descobre por baixo da adega? Quem é a misteriosa Sophia, que assina um comovente caderno de poemas? Quem foram os protagonistas da trágica paixão que mudou o curso da história da família?

Londres, 1943. Em plena Segunda Guerra Mundial, a inexperiente Constance Carruthers é recrutada pelos serviços de espionagem britânicos e enviada para Paris. Um incidente separa-a do seu contacto na Resistência Francesa, obrigando-a a refugiar-se junto de uma família aristocrata que entretém membros da elite de Hitler ao mesmo tempo que conspira para libertar o país. Numa cidade repleta de espiões e no auge da ocupação nazi, Constance vai ter de decidir a quem confiar o seu coração.
Constance e Émilie estão separadas por meio século mas unidas por laços que resistiram à força demolidora do tempo. Os segredos que o passado encerra pulsam ainda em busca de redenção.

Desta autora no Segredo dos Livros:
A Menina na Falésia

Autor – Lucinda Riley

Autora:

Lucinda Riley nasceu na Irlanda. Enquanto atriz, trabalhou no cinema, teatro e televisão britânicos. O seu romance A Menina na Falésia foi um fenómeno editorial, tendo-se tornado num bestseller mundial. Os seus livros estão publicados em mais de 20 países e já vendeu mais de um milhão e meio de exemplares. Além de A Menina na Falésia, a ASA publicou em Portugal Uma Espia no Meu Passado.
Lucinda Riley, atualmente, divide o seu tempo entre o Reino Unido e França.

Para mais informações sobre a autora consulte o site lucindariley.co.uk

6 comentários
0 likes
Anterior: Maria Antonieta: O Retrato de Uma Mulher ComumSeguinte: Sorte Explosiva

Comentários

  • Helena

    Maio 31, 2014 às 21:15
    Responder

    Lucinda Riley consegue tecer histórias de muitas páginas que se lêem num ápice, tal o encantamento a que sujeita os seus leitores, com narrativas vibrantes de mistério, intriga, aventura e ação, ainda que um tanto romanceadas. Personagens carismáticas, representativas do Bem e do Mal, que evoluem no desenrolar da trama. Como pode uma pessoa compreender o presente se não conhecer o passado? É com base nessa premissa que a autora entrelaça duas histórias, em duas épocas distintas, com duas mulheres como protagonistas, para construir uma maravilhosa narrativa, com um enredo emocionante. Não é fácil para quem vivenciou aquela época terrível […] Ler Mais...Lucinda Riley consegue tecer histórias de muitas páginas que se lêem num ápice, tal o encantamento a que sujeita os seus leitores, com narrativas vibrantes de mistério, intriga, aventura e ação, ainda que um tanto romanceadas. Personagens carismáticas, representativas do Bem e do Mal, que evoluem no desenrolar da trama. Como pode uma pessoa compreender o presente se não conhecer o passado? É com base nessa premissa que a autora entrelaça duas histórias, em duas épocas distintas, com duas mulheres como protagonistas, para construir uma maravilhosa narrativa, com um enredo emocionante. Não é fácil para quem vivenciou aquela época terrível da Segunda Guerra Mundial encarar o passado de um modo frio e desligado, ou sequer de uma perspetiva lógica, como acontece às novas gerações, saturadas de ler e ouvir falar daquele tempo, mas que ainda assim teve impacto no desenvolvimento do futuro, como aconteceu com a família aristocrata de la Martinières. Rivalidades e invejas traçaram também o destino de irmãos em ambas as épocas, como foi o caso de Sebastian e Alex, netos de Constance Carruthers, em 1999, bem como de Frederik e Falk em 1943.Por tudo isto, uma autora a reter e um livro a ler. Read Less

  • PCCST

    Janeiro 29, 2014 às 18:44
    Responder

    De uma forma cativante, este livro dá-nos a conhecer Émilie, a personagem principal, e o passado da sua família que estiveram envolvidos na 2ª Guerra Mundial. A autora vai saltando do passado para o presente de uma forma que nos deixa sempre ansiosos para poder continuar a ler sobre cada uma das partes, uma vez que, tanto o passado da família de Émilie como o seu presente, são histórias que nos prendem de imediato. Gostei bastante deste livro, pela forma como está escrito e pelas personagens escolhidas. Claro que podermos ler sobre a 2ª Guerra Mundial e sobre o que […] Ler Mais...De uma forma cativante, este livro dá-nos a conhecer Émilie, a personagem principal, e o passado da sua família que estiveram envolvidos na 2ª Guerra Mundial. A autora vai saltando do passado para o presente de uma forma que nos deixa sempre ansiosos para poder continuar a ler sobre cada uma das partes, uma vez que, tanto o passado da família de Émilie como o seu presente, são histórias que nos prendem de imediato. Gostei bastante deste livro, pela forma como está escrito e pelas personagens escolhidas. Claro que podermos ler sobre a 2ª Guerra Mundial e sobre o que as personagens passaram nessa altura, foi fantástico. Todos os pormenores foram dados com bastante minúcia e acho que é isso que torna o livro tão fascinante. Conjuga a intriga com o mistério, o amor, o conceito de família e ainda a inveja, e temos tudo para conseguir um livro bastante interessante. Já conhecia a autora através do seu anterior livro "Uma menina na falésia", do qual também tinha gostado bastante. Recomendo. Read Less

  • Vera Neves

    Outubro 15, 2013 às 16:17
    Responder

    Quando li “ A Menina na Falésia” de Lucinda Riley, fiquei fã da autora e não perdi a oportunidade de ler este novo livro. E, mais uma vez, a autora confirmou o seu talento como exímia contadora de histórias. Fiquei completamente rendida e encantada com este “Uma espia no meu passado”. Um livro maravilhoso que me deixou assombrada e me levou às lágrimas.A autora divide o livro entre as histórias de Emilie e Constance, que se entrelaçam de forma surpreendente. A acção vive-se em 1998 e na década de 40, mais precisamente a começar no ano de 1943.Emilie é uma […] Ler Mais...Quando li “ A Menina na Falésia” de Lucinda Riley, fiquei fã da autora e não perdi a oportunidade de ler este novo livro. E, mais uma vez, a autora confirmou o seu talento como exímia contadora de histórias. Fiquei completamente rendida e encantada com este “Uma espia no meu passado”. Um livro maravilhoso que me deixou assombrada e me levou às lágrimas.A autora divide o livro entre as histórias de Emilie e Constance, que se entrelaçam de forma surpreendente. A acção vive-se em 1998 e na década de 40, mais precisamente a começar no ano de 1943.Emilie é uma veterinária que trabalha em Paris. Descende de aristocratas, mas leva uma vida à margem da sua ascendência. Quando a sua mãe morre, ela herda o chateau da família e, como única herdeira dos de La Martines, cabe-lhe a decisão de vender ou de restaurar a única ligação que lhe resta à história da família, sendo que isso implica mudar a sua vida por completo. Esta personagem é insegura, é frágil e com pouco amor próprio. Por vezes, considerei-a demasiado tonta, demasiado iludida e tive vontade de a fazer “acordar para a vida”. Mas a autora encarregou-se de o fazer por mim e, com o avançar do livro, Emilie vai finalmente crescer e dar um rumo à sua vida, tomar as decisões certas e lutar pelos seus objetivos. Na vida de Emilie surge Sebastian, o “cavaleiro andante” que surge na sua vida “por acaso” na altura em que mais precisa de apoio. A estória de Seb também é interessante: herdou, juntamente com o irmão, um castelo no Yorkshire que a avó lhes deixou. Mas a relação deles é tudo menos pacífica e gostei imenso do desenrolar da situação.Como referi, a autora foi fazendo uma ligação desta realidade com uma outra, algumas décadas atrás, em plena Segunda Guerra Mundial. Neste cenário, a autora insere-nos em pleno contexto de guerra, fornecendo-nos os pormenores do que se vivia na França ocupada, na Inglaterra e na Alemanha. Esta parte do livro é, para mim, muito, muito boa, porque é dos temas que mais gosto de ler e, neste livro, a autora fê-lo muito bem. Conseguimos visualizar todo o drama vivido naquela altura, a destruição, as injustiças, o medo que se sentia na pele, mas de uma forma que faz com que nos pareça que estamos lá.Constance é abordada e torna-se espia da Resistência, quando o seu marido está dado como desaparecido de Guerra. Depois de semanas de treino, parte para França, mas o destino troca-lhe as voltas e todos os seus contactos alteraram a sua missão. Terá de recorrer ao seu último contacto, para ser novamente reintegrada na rede de espionagem. Mas, quando chega subitamente a casa de Édouard, todo o seu mundo sofre um grande revés. À mesa, estão os representantes das mais altas patentes do regime nazi: a SS e a Gestapo. Para não abrir demasiado os segredos, digo apenas que este Édouard é pai da nossa protagonista Emilie e Constance é avó de Sebastian. Acho que este dado deixa no ar uma ligação das famílias, mas, à medida que vamos lendo, vemos que é mais do que isso. Muito mais.Constance é uma mulher fabulosa. Admirei a sua atitude, a sua força e determinação. Sofri por ela e fiquei feliz com ela. Uma verdadeira heroína.Esta é uma grande estória, com grandes personagens, com uma intensidade surpreendente. Um livro que me vai ficar no coração.Outras personagens de que gostei, foram o Jean, a Venettia, o Frederik, a Sophia, o Anton e muitos outros!! Mas não é aconselhável abrir mais o pano. É, de facto, um livro recheado que nos enche a alma. Uma escrita magistral. Recomendo vivamente. Read Less

  • Ana Barbosa

    Setembro 23, 2013 às 11:24
    Responder

    Este livro é, no geral, a perfeita ligação entre o presente e o passado. Permite, desde muito cedo, que o leitor tenha a noção de que, para conseguir acompanhar a narrativa, terá que imaginar-se entre dois mundos completamente diferentes.Émilie provém de uma família aristocrática. O seu pai Edourd morreu quando ela tinha apenas catorze anos e a mãe Válerie sempre a negligenciou. Durante anos, Em tentou ignorar as suas obrigações familiares, mas, com a morte da mãe, vê-se obrigada a assumir todas as responsabilidades.No meio da necessidade de tomar decisões difíceis acerca dos seus bens, Sebastian aparece milagrosamente na sua […] Ler Mais...Este livro é, no geral, a perfeita ligação entre o presente e o passado. Permite, desde muito cedo, que o leitor tenha a noção de que, para conseguir acompanhar a narrativa, terá que imaginar-se entre dois mundos completamente diferentes.Émilie provém de uma família aristocrática. O seu pai Edourd morreu quando ela tinha apenas catorze anos e a mãe Válerie sempre a negligenciou. Durante anos, Em tentou ignorar as suas obrigações familiares, mas, com a morte da mãe, vê-se obrigada a assumir todas as responsabilidades.No meio da necessidade de tomar decisões difíceis acerca dos seus bens, Sebastian aparece milagrosamente na sua vida. Um homem culto e um fervoroso apreciador de arte, que ajuda Émilie a dar um rumo na sua vida e, mais tarde, a pede em casamento. Mas, depois do enlace, tudo muda. Vão viver para a casa de Seb em Inglaterra e, para além do marido estar constantemente fora, ainda descobre através do irmão dele que, afinal, a pessoa com quem casou não é quem pensava.Numa das suas idas a casa, Émilie acaba por descobrir que a avó do marido havia sido uma grande espia no tempo de guerra e que esteve ligada à sua família, tendo conhecido a sua tia e o seu pai. É então que o leitor é levado por um cenário de guerra e destruição, onde consegue acompanhar a maravilhosa história de Constance.Uma leitura agradável e descontraída que se traduz numa constante descoberta e surpresa ao longo da história.Aconselho a leitura e aguardo a possibilidade de ler outros livros da autora. Read Less

  • Vanessa Montês

    Agosto 31, 2013 às 15:45
    Responder

    Nunca tinha lido nada desta autora. Acabei por "cair na tentação", através das diversas críticas positivas ao primeiro livro da autora que foi publicado em Portugal. Todos os que o leram acabaram por querer ler este mal ele saísse no mercado, o que apenas podia significar que valeria a pena.Émilie nunca quis ter nada a ver com a sua família rica e sem preocupações. O que ela mais queria era viver sossegada e atingir os seus diversos objectivos pela sua própria mão, através do seu esforço. Mas, quando a sua mãe morre, ela é a única herdeira de toda a […] Ler Mais...Nunca tinha lido nada desta autora. Acabei por "cair na tentação", através das diversas críticas positivas ao primeiro livro da autora que foi publicado em Portugal. Todos os que o leram acabaram por querer ler este mal ele saísse no mercado, o que apenas podia significar que valeria a pena.Émilie nunca quis ter nada a ver com a sua família rica e sem preocupações. O que ela mais queria era viver sossegada e atingir os seus diversos objectivos pela sua própria mão, através do seu esforço. Mas, quando a sua mãe morre, ela é a única herdeira de toda a fortuna e terrenos da família. Acaba, dessa forma, de um momento para o outro, por ter que pagar as dívidas da família com alguns dos terrenos e por ter que recuperar os restantes. Desesperada e sem saber como o fazer, acaba por receber a ajuda de Sebastian, alguém que afirma ser neto de Constance, amiga da família de Émilie. Num dos passeios pelas propriedades herdadas, acaba por encontrar um quarto escondido no fundo de uma das propriedades. Era um quarto com condições desumanas, mas que parecia ter sido habitado... O que teria acontecido ali?A segunda guerra mundial já começou. Constance é contratada para os serviços secretos que depositam muitas esperanças nas suas habilidades. Mas essas habilidades acabam por ser desperdiçadas quando tem que se esconder, devido a uma falha na missão, numa casa que é frequentada por grandes patentes nazis. De forma a não ser morta e a não comprometer a família que a acolheu, Constance tem que fingir que é uma pessoa como qualquer outra, além de ter que se fingir apaixonada por um dos oficiais nazis... Um oficial que apenas tem ódio dentro de si.Duas história que parecem tão longínquas uma da outra, mas que acabam por se juntar e por estar mais relacionadas do que parecia.Fiquei surpreendida com este livro que conta as histórias de duas mulheres, que não podiam ser mais diferentes uma da outra, mas que acabam por estar ligadas. Adorei conhecer Constance, uma mulher que sofreu imenso na vida e que viu imenso, acabando por sobreviver para contar a história. Uma pessoa muito diferente de Émilie, que acabou se revelar alguém de mente fraca. Sim, é uma caracterização forte, mas foi o que pensei. A maneira fácil como ela aceitou casar com Sebastian; como nunca desconfiou do facto de, a partir de terem casado, nunca estarem juntos uma única noite. Achei que era suposto termos pena da personagem, mas acabei por achar que esta era muito fraca de espírito e não gostei muito dela.Mas adorei o irmão de Sebastian e foi só a partir dessa parte que comecei a gostar um pouco da personagem de Émilie.Um livro que recomendo e que me surpreendeu. Read Less

  • Cristina Delgado

    Julho 20, 2013 às 19:32
    Responder

    Há livros em que não sentimos as páginas a passar pelos nossos olhos, mesmo que tenham mais de quinhentas, outros há que demoram, demoram e parece que nunca mais acabam, mesmo que só tenham cento e tal...Este voou! A acção decorre em dois espaços temporais diferentes. Um em 1943, em plena Segunda Guerra e o outro em 1998, volvidos que eram cinquenta anos. Em Londres e na Côte d'Azur. Duas famílias aristocratas unidas pelas circunstâncias que a guerra provocou.A história tem todos os ingredientes para prender a nossa atenção! Possui mistério, amor, recordações e actos de coragem, intriga... Tudo em […] Ler Mais...Há livros em que não sentimos as páginas a passar pelos nossos olhos, mesmo que tenham mais de quinhentas, outros há que demoram, demoram e parece que nunca mais acabam, mesmo que só tenham cento e tal...Este voou! A acção decorre em dois espaços temporais diferentes. Um em 1943, em plena Segunda Guerra e o outro em 1998, volvidos que eram cinquenta anos. Em Londres e na Côte d'Azur. Duas famílias aristocratas unidas pelas circunstâncias que a guerra provocou.A história tem todos os ingredientes para prender a nossa atenção! Possui mistério, amor, recordações e actos de coragem, intriga... Tudo em doses q.b.Gostei e recomendo! Read Less

Comentar

Siga-nos no Facebook
Facebook Pagelike Widget
Últimos Livros Comentados
Tópicos recentes