Uma História da Maçonaria em Portugal (1727-1986)

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: António Ventura
Género: História
Edição: Jun/2020
Páginas: 672
ISBN: 9789896446130
Editora: Temas e Debates

 

 


A caminho de quase três séculos de Maçonaria em Portugal, a sua história confunde-se com a história do nosso país. Por entre anátemas e elogios cegos, importa desbravar a floresta de enganos, positivos e negativos, que rodeia a Maçonaria.
Este livro não é uma história exaustiva da Maçonaria em Portugal, mas sim um contributo para uma melhor compreensão da vida dessa organização entre nós durante quase trezentos anos.

As balizas temporais justificam-se, a primeira - 1727 -, pelo início da Maçonaria em Portugal, ainda que sem a participação de portugueses. A última - 1986 - constitui o momento em que se consumou a primeira cisão na Maçonaria Portuguesa depois de Abril de 1974, multiplicando-se, a partir de então, o aparecimento de novas Obediências.

Conteúdo da obra
I - Entre Luzes e Sombras (1727-1797)
II - Entre Cila e Caríbdis - A Maçonaria Portuguesa entre 1797 e 1819
III - Esperanças, Desafios e Ilusões (1820-1834)
IV - A Tentação Política - Entre a Dispersão e a Busca de Unidade (1834-1868)
V - Maçonaria à Margem da Política
VI - O Grande Oriente Lusitano Unido (GOLU) - Supremo Conselho da Maçonaria Portuguesa (1869-1879)
VII - Tempos de Incerteza (1880-1899)
VIII - O Lento Caminho da Republicanização (1900-1910)
IX - O Período Áureo (1910-1914)
X - A Cisão de 1914 e o Grémio Luso-Escocês
XI - Anos Tempestuosos (1915-1925)
XII - República e (ou) Ditadura (1926-1929)
XIII - O Grão-Mestrado do General Norton de Matos (1930-1935)
XIV - Mas Há sempre Uma Candeia… (1935-1974)
XV - Quem Quis sempre Pôde - O Reavivar das Luzes (1974-1986)

Deste autor no Segredo dos Livros:
Carlota Joaquina e Leopoldina de Habsburgo - Rainhas de Portugal no Novo Mundo (coautoria)
A Grande Guerra por quem a viveu - 36 testemunhos portugueses

Autor:

António Ventura é doutor em História Contemporânea. Professor catedrático do Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Académico de Número da Academia Portuguesa da História, é autor de uma vasta bibliografia sobre História Contemporânea, com mais de 300 trabalhos publicados. Colaborou em diversas publicações periódicas nacionais e estrangeiras e fez conferências e participou em congressos científicos em Espanha, França, Itália, Suíça, Estados Unidos da América, Canadá, Macau, China, Luxemburgo, Polónia, México, Bélgica e Rússia.
De António Ventura a Temas e Debates publicou Os Constituintes de 1911 e a Maçonaria (2011) e Silêncio e Virtude – Uma História da Maçonaria Feminina em Portugal (1814-1996) (2016).

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • A Ilustre Casa de Ramires
    NOTA: Este comentário contém spoilers (*** não leia se pretender ainda ler o livro ***) Após 2 ou ...
  • 28.06.2020 09:42
  • Imortal (José Rodrigues dos Santos)
    Acabei (finalmente) de ler o mais recente livro de José Rodrigues dos Santos - Imortal que trata de um ...
  • 01.06.2020 23:30
  • O Túmulo do Mestre
    Ótimo livro para se ler num fim de semana! Li-o em duas tardes. Os capítulos não são grandes, pelo ...
  • 19.04.2020 19:03

Últimos Tópicos

    • Frecha Trailer
    • [image] Frecha, Teresa Durães, e-book gratuito para download na loja kobo.com
    • há 3 semanas 5 dias
    • Há procura de opiniões
    • Boms dias a todos, Envio um inicio de livro que para aqui tenho já há talvez...
    • há 1 mês 2 semanas
    • o final tem um ritual
    • O meu ritual é uma tortura, mas pra um TOC. Eu tenho que ler o final várias e...
    • há 1 mês 3 semanas
    • Frecha
    • - Frecha, toda a magia tem um preço, sabes disso. Tens a certeza que queres...
    • há 3 meses 6 dias

Uma Pequena Palavra...

"Acredito que, assim como na nossa vida se vão sucedendo acontecimentos de todo o tipo, também na literatura se sucedem esses acontecimentos, que são expressão do que sentimos e pensamos: a criação é a forma que temos de colocar cá fora as nossas esperanças, as nossas certezas, dúvidas, as nossas ideias."
José Saramago in A Estátua e a Pedra