Viriato: A História da Grande Epopeia Lusitana

FaceBook  Twitter  

 

 

Autor: Teófilo Braga
Género: História de Portugal
Edição: Set/2019
Páginas: 304
ISBN: 9789897244889
Editora: Clube do Autor

 

 

 

A determinação de um povo e as origens da nação.
A história do herói que uniu as tribos lusas contra o domínio romano da Península Ibérica
Guerreiro corajoso e líder carismático, Viriato foi um dos mais ferozes adversários das legiões romanas e é ainda hoje uma das figuras míticas da História de Portugal. Baseado num profundo conhecimento da cultura antiga na Hispânia e dos Lusitanos, o estudioso Teófilo Braga cria uma narrativa épica sobre a saga de um homem e de um povo contra a opressão de um conquistador poderoso e dominador.

«Teófilo Braga reconstrói a vida, obra, e valores de Viriato, com o rigor e adesão de quem acompanhou a epopeia. Enquanto escreveu a crónica da intervenção fundadora de Viriato, pilar da dignificada origem da Nação Portuguesa, ele estava lá como observador participante»
Adriano Moreira, in Prefácio

Autor:

Teófilo Braga nasceu em 1843 e morreu em 1924. Fundador do Partido Republicano, foi nomeado presidente da República por via constitucional em 1915. É conhecido pela grande variedade de atividades e pela riqueza prolífica da sua obra, que constitui uma abordagem pioneira na História da Literatura portuguesa.

Tem de iniciar sessão para submeter o seu comentário.

Últimas Opiniões

  • Budapeste
    Este livro fala de uma profissão que muitos podem considerar ficção, mas é muito real e mais vulgar do ...
  • 18.01.2020 23:22
  • A Luz de Pequim
    Apesar de ter vários livros do autor na estante, ainda não tinha tido a oportunidade de ler qualquer ...
  • 15.01.2020 13:56
  • As Ideias Políticas e Sociais de Jesus Cristo
    Este "breve opúsculo", como o autor avisa na introdução, é um breve "mas claríssimo ensaio" sobre ...
  • 29.12.2019 19:47

Últimos Tópicos

Uma Pequena Palavra...

“E desde então decidi que a POESIA é a forma mais curta, mais doce, mais explosiva. Para que escrever um romance se é possível dizer o mesmo em dez linhas?”
Charles Bukowski